Waldemar Lemos desafia torcida do Náutico por conta de ameaças

O começo foi arrasador. Aos 25 segundos de jogo, Kieza dominou a bola de cabeça, tirou o goleiro da jogada e abriu o placar contra o Icasa. Parecia que o caldeirão dos Aflitos, como os torcedores alvirrubros gostam de chamar o estádio, faria mais uma vítima. No entanto, no fim das contas os cearenses empataram e frustraram a torcida, jogadores e comissão técnica do Timbu.

O enredo negativo, já visto durante a partida contra o Duque de Caxias e Guarani, quando o Náutico começou na frente e deixou a vitória escapar, fez com que a torcida vaiasse o time ao fim do jogo. A atitude dos torcedores irritou o técnico Waldemar Lemos.

– Parte da torcida que vem aos Aflitos não consegue dar a ajuda necessária ao time. O torcedor tem que saber separar o que é amor de paixão, porque paixão é apenas vir para cobrar o resultado. Esse não é um time de ladrões ou de safados como alguns dizem. Todo mundo corre atrás. Se quiserem fazer alguma coisa, façam comigo e não com os jogadores. Me matem se quiserem.

Para o comandante Timbu, a torcida está sendo ingrata com o time, atualmente com 49 pontos e entre os quatro clubes que sobem para a Série A.

– Pelo que me consta, em temporadas passadas, o Náutico estaria lutando para não descer e com uma folha salarial alta.

Explicações sobre ‘apagão’

Além de demonstrar sua decepção com uma parcela dos torcedores, Waldemar Lemos tentou explicar o “apagão” que se abateu sobre o Náutico no segundo tempo.

– A gente tentou fazer outro tipo de marcação, mas não conseguimos. Eles superaram a nossa marcação, tiveram a sorte de finalizar e nós não.

Em decorrência do empate, que minou as pretensões do Náutico de se reforçar no G4, o Timbu agora terá que buscar pontos fora de casa. A próxima partida é contra o Americana, em São Paulo, na terça-feira. O embate vale a terceira colocação, já que ambos têm 49 pontos, mas o time paulista possui uma vitória a mais.

– Precisamos estar alerta com outras situações. Esses pontos perdidos em casa interferem na classificação e agora temos que buscar resultados fora de casa. Mas não podemos entrar em desespero – falou Waldemar Lemos.

O técnico ainda reclamou da arbitragem e deu a entender que o Náutico vem sendo prejudicado constantemente na Série B.

– Há algumas coisas que acontecem como a não marcação de faltas no início dos jogos.

Neste domingo, o time não treina e embarca às 11h para Campinas (SP) onde ficará concentrado para o jogo contra o Americana.

Comentários

Leave A Reply