Vídeo mostra autor de atentado na Tunísia andando na praia após mortes

Um vídeo amador que mostra o autor do atentado de sexta-feira (26) na Tunísia caminhando lentamente pela praia em meio a cadáveres circulava nesta segunda-feira (29) pelas redes sociais.

Com uma duração de 11 minutos, o vídeo, no qual é possível ouvir o som de tiros, foi gravado com um telefone celular por um tunisiano durante o massacre de 39 pessoas, a maioria delas turistas estrangeiros. Assista (o vídeo tem imagens fortes).

 

“É ele, o que veste um short! Está ali, está vindo para cá!”, gritam em árabe no hotel vários tunisianos, ao que parece funcionários e vigias da praia. Nesse momento, são ouvidos disparos e uma explosão.

Escondido atrás de uma parede, o autor do vídeo mostra em seguida o criminoso – identificado pelas autoridades como Seifeddin Rezgui, um estudante de 23 anos – se dirigindo do hotel à praia.

O tunisiano segue o assassino mantendo uma certa distância, passando entre os corpos ensanguentados e sem vida dos turistas baleados enquanto pegavam sol na praia.

“Por que mata as pessoas? Por quê?”, lamenta o autor do vídeo.

“Venha, venha!”, grita a vários tunisianos que estão perto dele. “Polícia, a polícia!”, exclama, sem que seja possível confirmar se existem agentes na zona ou se só expressa seu desejo de vê-los chegar.

Depois é possível observar o terrorista, uma silhueta negra devido à luz radiante do dia de verão, caminhando tranquilamente na beira do mar enquanto o autor do vídeo passa diante de novos corpos. “Meu Deus”, exclama.

Ele se une posteriormente a um grupo de tunisianos, que começam a correr atrás do assassino, que permanece distante.

São ouvidos insultos e alguém afirma: “Prendam-no! Prendam-no!”.

O vídeo mostra posteriormente uma rua próxima ao hotel enquanto são ouvidos novos tiros.

“Continua atirando?”, alguém se pergunta, surpreso.

É ali, segundo testemunhas e fotos divulgadas pelos meios de comunicação locais, que Rezgui será finalmente abatido pela polícia.

O atentado reivindicado pelo grupo Estado Islâmico é o ataque jihadista mais sangrento da história da Tunísia.

Comentários