Recife passa a ter 74 pontos de acesso gratuito à internet via wifi

O Recife ganhou, nesta quarta-feira (26), 74 pontos de acesso gratuito à internet através da rede wifi espalhada por mercados públicos, praças, pontos turísticos, entre outros locais da cidade. O projeto Conecta Recife, que estava em fase de testes desde o último mês de outubro, foi lançado prefeito Geraldo Julio, no edifício-sede do poder público municipal.

Cada ponto de acesso, chamado de hotspot, tem capacidade para 100 usuários simultâneos. Os com maior movimentação de pessoas contam com mais de um hotspot, como o Marco Zero, que possui quatro. “Quando atingir a capacidade, a pessoa recebe uma mensagem para que aguarde para poder se conectar. Assim que alguém se desconectar, ela vai conseguir”, explica o presidente da Empresa Municipal de Informática (Emprel), Eugênio Antunes.

Para poder acessar a internet pelos pontos de acesso, é preciso se cadastrar pelo site do projeto ou no momento do primeiro acesso. Basta informar nome, e-mail, documento e criar uma senha. “O primeiro acesso dura dez minutos, para que a pessoa possa confirmar o cadastro. Depois disso, cada conexão dura uma hora e então cai. Não existe um limite diário, basta a pessoa se reconectar em seguida. Isso é para evitar o uso indevido da rede”, aponta Antunes. Durante a fase de testes, cerca de 24,5 mil pessoas se cadastraram para utilizar a internet gratuita.

A iniciativa vai beneficiar turistas e também os próprios recifenses, defende o assistente administrativo Alexandre Pereira, que trabalha perto do Marco Zero. “Fica mais fácil para os turistas se localizarem tendo acesso à internet e fica bom para a gente também, se precisar pegar alguma informação. O 3G nem sempre é muito confiável, fica lento”, avalia.

A enfermeira Juscélia Alves não teve problemas com a nova conexão, embora espere que mais pontos na cidade recebam a iniciativa. “Eu achei bem rápida, mais que o 3G aqui no Derby. Acho que vai ser bom, mas tem que ter em outros lugares também, sem ser só para turista”, afirma. O técnico em contabilidade Homero Teixeira trabalha próximo ao Parque 13 de Maio, onde há quatro zonas wifi, e disse que a conexão é instável. “Está muito lento ainda, cai toda hora. Você não consegue fazer muita coisa. Espero que a situação melhore”, lamenta.

A reportagem do G1 passou por alguns pontos de acesso na região central do Recife, como Praça do Derby, Marco Zero, Parque 13 de Maio, Rua da Guia, Rua do Bom Jesus e Avenida Marquês de Olinda e não constatou problemas. “Cada hotspot tem um raio onde fica otimizado o acesso, que é cerca de 100 metros, variando de acordo com o aparelho das pessoas. Temos placas sinalizando o ponto de acesso, quanto mais perto melhor o acesso”, detalha o presidente da Emprel.

Apesar de não haver uma meta específica, a Prefeitura do Recife pretende ampliar o projeto. “Agora que a gente já implantou, vamos consolidar o programa. O investimento da prefeitura foi de R$ 10 milhões para implantação e manutenção. E depois vamos ampliando”, explica o prefeito Geraldo Julio.

O sinal wifi é distribuído a partir de quatro torres — na sede da Emprel, no Morro da Conceição, no prédio da Prefeitura e no bairro do Pina — e interligado através de fibra ótica na cidade. Equipes vão monitorar as redes 24 horas por dia. A lista completa com os pontos de acesso e um mapa da cidade indicando onde estão geograficamente os pontos podem ser conferidos no site do projeto. Quem tiver problemas no acesso, sugestões ou reclamações pode entrar em contato com as equipes de plantão através do telefone 156.

Comentários

Leave A Reply