Reaproximação de Cuba com Washington, embargo e outras coisinhas.

Há mais de 50 anos a ilha caribenha enfrenta um embargo dos EUA, país que fica há 150 km da ilha. Com o fim da URSS a ilha ficou ainda mais represada e os problemas estruturais começaram a aparecer de forma mais latente. Contudo, a ilha se orgulha em ter a melhor educação da América Latina, um sistema de saúde público elogiado em todo o mundo, que além do mais envia médicos para combater males em diversos países, como aconteceu recentemente com o ebola na África. Outro ponto a se anotar é que a mortalidade infantil segundo o UNICEF é igual a zero na ilha.

Com a intervenção do sumo pontífice Argentino Papa Francisco e de Pepe Mujica Cuba e EUA começam a reatar, mesmo que timidamente, laços diplomáticos, rompidos na década de 60. A reaproximação se mostra imperiosa para o povo cubano e para laços entre duas nações que se distanciaram pela polarização da segunda metade do século XX.
Para Obama em discurso “foi a coisa certa a fazer”.

“Boa tarde. Hoje, os Estados Unidos da América estão mudando sua relação com o povo de Cuba .Na mais significativa mudança em nossa política em mais de 50 anos, vamos acabar com uma abordagem ultrapassada que, durante décadas, não conseguiu impulsionar nossos interesses, e em vez disso vamos começar a normalizar as relações entre os nossos dois países. Através destas mudanças, temos a intenção de criar mais oportunidades para os povos americano e cubano, e começar um novo capítulo entre as nações das Américas”.

Independente de questões ideológicas, é uma nova pagina da história que está sendo escrita neste exato momento. Nenhum povo ,repito, nenhum povo merece sofrer embargos, ser sufocado, “ilhado” de fato e distanciado do restante de um mundo que se diz “democrático”. A pequena ilha sobreviveu, aos trancos e barrancos, e hoje respira, com a possibilidade, ainda que muito remota, do fim do embargo econômico, pois isso depende de um congresso que não se mostra muito disposto a isso, mas o simples simbolismo, o simples gesto indica que com dialogo e compreensão humana da razão tudo é possível.

Que vença o povo sempre, parabéns ao Papa Francisco, a Mujica, que tiveram a sensibilidade de enxergar além de muros e fronteiras ideológicas um povo justo, batalhador e aguerrido, que não pode viver mais represado no globo.

Comentários