Prometidas para a Copa, obras de mobilidade ficam para 2015 em PE

Meses após o fim da Copa do Mundo, muitas das obras que pretendiam garantir a mobilidade dos torcedores nos dias de jogo não ficaram prontas no Grande Recife. Os corredores exclusivos de ônibus são o maior exemplo, mas o atraso também atinge equipamentos como a Via Mangue e o Ramal da Copa. Todos operam na base do improviso até hoje, pois só tiveram um trecho concluído. Depois do campeonato mundial, a expectativa era que tudo ficasse pronto em dezembro deste ano. Entretanto, nesta semana a Secretaria das Cidades de Pernambuco admitiu que parte das obras só será concluída em 2015.

(Confira no final da reportagem a tabela completa com os novos prazos de todas as obras de mobilidade previstas para a Copa no estado.)

“Vamos terminar quase tudo até o final do ano, mas muita coisa vai ficar para 2015. As estações de BRT de Camaragibe, que integram o Corredor Leste/Oeste, por exemplo, só serão concluídas em maio do próximo ano”, admitiu o secretário-executivo das Cidades, Gustavo Gurgel. Por isso, a operação completa dos corredores de Bus Rapid Transit (BRT) da Região Metropolitana do Recife só será possível na metade do próximo ano, quase um ano após o fim da Copa. Além das estações da Avenida Belmino Correia, ficarão para o próximo ano as estações da Avenida Cruz Cabugá, o Terminal Integrado de Ônibus da 4ª Perimetral e o Ramal Externo da Copa.

Ainda segundo Gurgel, os atrasos foram motivados por uma série de problemas técnicos. Em Camaragibe, foram as dificuldades na desapropriação dos imóveis que ficam na Belmino Correia e as chuvas fora de época que atrapalharam o decorrer dos serviços. Os mesmos problemas afetaram a construção do Ramal da Copa. Nos dois locais, as obras estão paralisadas e só devem ser retomadas em janeiro do próximo ano. “Nesse momento, estamos concentrando os esforços nas estações da Avenida Caxangá. Com o término dessa obra, será possível colocar uma carga em Camaragibe”, explica o secretário-executivo.

Já na construção do TI 4ª Perimetral, o maior problema foi o solo. De acordo com Gurgel, o piso encontrado nas escavações era pior que o esperado. Por isso, foi necessário realizar procedimentos adicionais para viabilizar o serviço. “Além disso, houve dificuldade na aquisição de materiais. O mercado de construção está muito aquecido e foi difícil encontrar certos produtos”, alega. O terminal será construído na esquina com a Avenida Caxangá e deve ficar pronto em fevereiro do próximo ano. Já o TI da 3ª Perimetral, que ainda está em construção, será finalizado neste ano, de acordo com o secretário.

Veja a lista com a situação de cada uma das obras de mobilidade que deveriam ter ficado prontas para a Copa do Mundo, na Região Metropolitana.

Corredor Norte/Sul

O maior atraso é justamente o da obra que mais deve influenciar o fluxo de veículos e passageiros do sistema de transporte público da Região Metropolitana do Recife: o corredor Norte/Sul. São 33 quilômetros de via expressa de ônibus passando por cinco cidades: Igarassu, Abreu e Lima, Paulista, Olinda e Recife. O equipamento vai ligar Igarassu à estação central de metrô da capital pernambucana e será finalizado mais de um ano depois do prazo inicial. Iniciadas em janeiro de 2012, as obras deveriam ter ficado prontas em dezembro de 2013. O prazo foi estendido para julho passado, para o final deste ano e agora para fevereiro de 2015.

Semanas antes da Copa, o corredor foi parcialmente inaugurado, com duas das 29 estações funcionando. Hoje, oito delas estão em operação em Olinda e Paulista. Das 21 que ainda estão em construção, apenas 12 serão finalizadas neste ano, como foi prometido após o mundial. As últimas estações a ficarem prontas serão as da Avenida Cruz Cabugá, no Centro do Recife. Até fevereiro de 2015, o tráfego na via continuará com os desvios implantados em outubro, que vêm dificultando o trânsito na região. Hoje, a avenida apresenta um dos pontos de maior engarrafamento da capital pernambucana na pista sentido Olinda-Recife.

Além das estações, a Secretaria das Cidades precisa finalizar o terminal integrado de ônibus de Abreu e Lima para concluir o projeto do Norte/Sul. A expectativa é que o terminal comece a operar ainda neste ano. Por conta desses atrasos, somente 19 mil dos 180 mil passageiros que serão beneficiados pelo corredor podem usufruir das vias expressas de ônibus atualmente. Quando tudo estiver concluído, serão 90 veículos BRTs operando oito linhas de ônibus e circulando a uma velocidade de 24 km/h. Hoje, são 26 veículos, duas linhas e uma velocidade de 19 km/h. Tudo isso ao custo de R$ 151 milhões.

Corredor Leste/Oeste

Nos mesmos moldes do Norte/Sul, o corredor Leste/Oeste também não ficou livre dos atrasos. Ao contrário, será a última obra do pacote prometido para a Copa a ser finalizada. É que as estações de BRT de Camaragibe ainda nem começaram a ser construídas e só ficarão prontas em maio. A obra foi atrasada devido às dificuldades na desapropriação dos imóveis da Avenida Belmino Correia, que gerou revolta entre os moradores da região. Agora, que cerca de 120 imóveis foram desapropriados e as chuvas fora de época parecem ter chegado ao fim, a previsão é que as obras comecem em janeiro e durem cinco meses. Até lá, os operários trabalham para terminar a construção das estações da Avenida Caxangá.

De acordo com o projeto inicial, o corredor deveria ter sido inteiramente concluído em março deste ano. O prazo passou para maio, dezembro e agora para maio de 2015. Durante todo esse tempo, as obras afetaram o dia a dia de quem circula de carro ou ônibus pela capital pernambucana. Desde que foram iniciadas, provocaram mudanças no fluxo das avenidas Caxangá, Dantas Barreto, José Osório e Agamenon Magalhães. Hoje, continuam em andamento na Caxangá.

Até dezembro, devem ser construídos o Terminal Integrado da 3ª Perimetral, as últimas estações da Caxangá e as que vão ligar a avenida até a a Belmino Correia. Em 2015, será a vez do TI da 4ª Perimetral e as quatro estações de Camaragibe. “Cada estação leva cinco meses para ser concluída, então tudo deve ficar pronto em maio”, garantiu Gurgel.

Durante a Copa, o corredor Leste/Oeste também operou na base do improviso, com apenas duas estações. Ao invés de ligar Camaragibe ao Centro do Recife, ia só até o Derby. Hoje, 11 estações estão funcionando. Outras 15 precisam ser finalizadas. Quando estiverem prontas, 155 mil passageiros devem usar diariamente as sete linhas que vão operar no corredor de 12 quilômetros de extensão. Serão 96 veículos circulando a 21 km/h. Hoje, são 36 mil beneficiados, duas linhas e 33 veículos trafegando a 16 km/h. Assim como o tempo de execução, o orçamento do projeto também cresceu. Passou de R$ 74 milhões para R$ 145 milhões.

Túnel da Abolição

O Túnel da Abolição é um dos principais equipamentos previstos pelo Corredor Leste/Oeste e está sendo construído desde o início de 2013 na Madalena, Zona Oeste do Recife, para desafogar o fluxo de veículos no cruzamento da Rua Real da Torre com a Avenida Caxangá. Ainda hoje, um trecho da Real da Torre está interditado para viabilizar a obra e deve continuar assim até o término do serviço, em dezembro. O bloqueio afeta toda a circulação de veículos da região e provoca engarrafamentos constantes. “É um absurdo, quase um ano de atraso e sofrimento para nós que moramos por aqui”, reclama o aposentado Celso Ribeiro, 61.

Segundo o projeto inicial, o túnel seria construído em um ano, ou seja, ficaria pronto em janeiro de 2014. No entanto, as obras atrasaram por causa das fortes chuvas de junho de 2013 e 2014. Algumas máquinas ficaram submersas e tiveram que passar por manutenção para retornar ao serviço. Com isso, o prazo de conclusão das obras foi estendido três vezes: passou para junho, outubro e agora dezembro deste ano – quase um ano depois do previsto. Segundo Gurgel, desta vez o prazo não será adiado novamente. “O último trecho de pavimento está sendo concretado e deve ser finalizado nesta semana. Depois, é só esperar o concreto secar e ficar pronto para receber veículos. Acreditamos que até o Natal o tráfego será liberado”, afirma o secretário.

Via Mangue
Em Boa Viagem, Zona Sul da capital pernambucana, as queixas também são comuns quando se fala em Via Mangue, que ao contrário das outras obras é de responsabilidade da Prefeitura do Recife. Quem mora na região reconhece que a via facilitou a ida do Centro até a Zona Sul, mas não entende porque o caminho contrário ainda não foi liberado. A população ainda reclama da falta de iluminação noturna na via.

Segundo o plano inicial, a segunda faixa da Via Mangue seria inaugurada em setembro. Mesmo assim, continua sem receber veículos. Com um quilômetro de extensão, esta etapa vai ligar as ruas Félix de Brito e Henrique Capitulino, no sentido subúrbio-cidade. De acordo com a Secretaria das Cidades, 25 mil moradores serão beneficiados pelo projeto, principalmente aqueles que utilizam as avenidas Boa Viagem e Conselheiro Aguiar. Hoje, segundo a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), 33 mil veículos passam diariamente pela via oeste do equipamento, que foi inaugurada em junho e absorve parte dos veículos que circulam pela Avenida Domingos Ferreira.

Segundo a Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Urbano do Recife, a via leste da Via Mangue será liberada em dezembro. Segundo o projeto executivo, também será inaugurada neste mês a segunda faixa da via oeste, que fará o caminho cidade-subúrbio. O trecho vai ligar a Avenida República do Líbano à Rua Doutor Gilson Machado Guimarães e pretende desafogar ainda mais o fluxo da Domingos Ferreira. Toda a obra está orçada em R$ 431 milhões.

Ramal da Copa
Em Camaragibe, outra obra prometida para o campeonato mundial de futebol caminha a passos lentos. É o Ramal da Cidade da Copa, que vai completar a estrutura viária à Arena Pernambuco e será a principal via de acesso ao município de São Lourenço da Mata. O trecho interno, que permite a circulação nos arredores do estádio, foi concluído um mês antes da Copa das Confederações, em junho de 2013. Já o externo ainda não foi finalizado, justamente o que vai beneficiar a população da área.

O Ramal Externo vai ligar o Terminal Integrado de Camaragibe, na Avenida Belmino Correia, à Arena Pernambuco e contará com via expressa de ônibus, faixas para veículos comuns e ciclovia. O trecho funcionou durante a Copa do Mundo, mas voltou a ser interditado porque não estava totalmente pronto. Mesmo assim, as obras não foram retomadas. “Estão paradas desde julho por conta das chuvas, que não permitiram a realização das obras de pavimentação”, explicou o secretário-executivo das Cidades de Pernambuco.

Antes disso, a obra já havia atrasado por causa da demora nas desapropriações dos imóveis da Avenida Belmino Correia, que também alterou os prazos do Corredor Leste/Oeste. No entanto, segundo Gurgel, tudo já foi resolvido e as obras serão retomadas em dezembro. Até abril, tudo deve ficar pronto. Hoje, a pista de acesso ao TI Camaragibe ainda precisa ser finalizada, assim como o viaduto que está sendo construído em São Lourenço da Mata. O orçamento inicial do Ramal era de R$ 99 milhões, mas já alcança R$ 131 milhões.

 

 

Comentários