Professores da UFPE decidem nesta segunda se entram em greve

Esta semana será de mobilização, negociação e assembleias para professores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), da rede particular de ensino e da rede pública estadual. 

Nesta segunda, a partir das 9h30, no auditório do Centro de Tecnologia e Geociências (CTG), no câmpus Recife, docentes da UFPE decidirão se deflagram greve a partir de quinta-feira (28). Segundo o regimento da Associação dos Docentes da UFPE (Adufepe), a paralisação só poderá ser aprovada se houver a presença de no mínimo 10% dos associados, o que corresponde a 237 professores.

“Está havendo uma rodada de assembleias nas universidades federais do País. A partir do resultado dessas reuniões, o Andes (Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior) definirá se as aulas serão suspensas a partir de quinta-feira”, explica o presidente da Adufepe, Gilberto Sousa Filho. 

A pauta nacional dos professores das universidades federais, em resumo, pleiteia condições de trabalho e reestruturação da carreira, além de reajuste salarial. A UFPE tem cerca de 2.600 docentes.

REDE PARTICULAR – Para os professores da rede privada, que na última sexta-feira decretaram estado de greve, o dia hoje é de negociação com a direção do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Pernambuco (Sinepe). As duas partes se encontrarão às 18h na sede do Sinepe, no bairro das Graças, Zona Norte do Recife.

Os mestres lutam pela unificação do piso salarial em R$ 15, independente dos níveis de ensino e reajuste salarial de 15% para o universo da categoria que ganha além do piso, entre outros pontos. “A contraproposta dos donos de escolas não foi aceita. Queremos esgotar todos os canais de diálogo com os patrões. Mas se a greve for o último artifício, não hesitaremos em deflagrá-la”, afirma um dos dirigentes sindicais, Wallace Gonçalves. A próxima assembleia será sexta-feira, às 9h.

REDE ESTADUAL – Os professores estaduais suspendem as aulas a partir de sexta-feira, mesmo dia em que realizam assembleia às 14h na frente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, na Boa Vista. Durante essa semana haverá mobilização nas escolas, segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe). Na quinta-feira, a entidade está pedindo aos docentes para se vestirem de preto e postarem fotos nas redes sociais, em adesão à campanha #SOS Educação Pública, da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). 

A categoria rejeitou a proposta do Estado de aumento de 7% dos salários divididos em três vezes (junho, outubro e dezembro). A reivindicação é reajuste de 13%, como assegura a lei do piso nacional do magistério.

Comentários