Professora emagrece 35kg e muda de vida após ofensa de ex-namorado

Nos últimos dois anos, a vida de Juliana Oliveira, de 35 anos, mudou completamente. A mulher com baixa autoestima se transformou em uma pessoa sarada, confiante e que sonha ser fisiculturista. A transformação, que lhe rendeu um corpo 35kg mais magro, se deu depois que a professora universitária ouviu duras palavras de um ex-namorado.

02-antes.jpg

– O estopim aconteceu em 2013, no dia 8 de agosto. Eu namorava um rapaz já havia três anos e ele me chamava de boneco da Michelin, aquele dos pneus. Certa vez, ele foi passar férias na Europa e me ligou dizendo que, lá, as mulheres eram lindas e não pareciam em nada comigo. Na hora em que ele me falou isso, eu desliguei o telefone e tirei uma foto do meu rosto. Eu não tirava fotos de mim mesma fazia tempo. Comecei a chorar, porque eu estava com o rosto muito redondo, uma papada enorme e a fisionomia entristecida – lembra a moradora de São Paulo: – Na época, foi muito ruim, mas hoje eu agradeço a ele. Daquele dia em diante, nunca mais parei.

atual

Juliana chegou aos 95kg após passar por uma longa fase de baixa autoestima, na qual engordou mais de 30kg.

– Em 2008, tive câncer no colo do útero. Perdi cabelo e passei por todo aquele processo doloroso. No ano seguinte, tive um pré-ataque isquêmico transitório. Isso mexeu comigo e, em 6 ou 7 meses, engordei muito.

Após o episódio com o ex, a professora começou uma revolução alimentar e física. Foram dez meses de dieta Dukan, o que resultou em 13kg a menos. Depois, por mais seis meses, começou a praticar corrida e somou mais alguns quilos perdidos à conta. Agora, há oito meses na academia, ela conseguiu chegar aos 60kg na balança:

– Conheci a Dukan através de uma professora lá da faculdade. Por ser muito restritiva, não me dei muito bem com a dieta, me sentia mal. Então comecei a estudar reeducação alimentar. Comprava livros sobre nutrição e educação física e aplicava o que aprendia em mim. Quando você reeduca sua alimentação, sabendo comer direitinho, você tem seus prêmios e, de vez em quando, pode fugir da dieta porque tem uma vida regrada e não se prejudica com uma exceção. Hoje, como frutas, coisa que na Dukan não podia, além de carboidratos de baixo índice glicêmico, como batata-doce, inhame e mandioca no lugar do arroz e da batata comum. Às vezes, como um macarrão integral e consumo proteínas em todas as refeições. São seis ou sete por dia, de três em três horas. Já me acostumei a ficar sem fastfood, refrigerante e açúcares. No começo, foi difícil, pois tinha vontade de comer e chorava. Eu era uma gordinha que comia escondido e dizia que não comia.

Para quem pensa que emagrecer foi fácil, Juliana conta que, em diversos momentos, estagnou na perda de peso.

– Fiquei muito tempo no efeito platô. Então, para não desanimar, olho minhas fotos antigas e tenho grupos de dietas no Whatsapp. Não quero voltar a ser como eu era.

A paixão pela musculação veio junto com uma paixão na vida real. Atualmente, a paulista é casada com um fisiculturista e sonha competir.

– Faço musculação de domingo a domingo, 40 minutos por dia. Já perdi todo o peso que ganhei no passado. Agora, a minha meta é eliminar mais quatro ou cinco quilos de gordura para ficar pronta para competir e, claro, conseguir um patrocínio – almeja a professora, que alimenta o Instagram @jualeka, com mais de 10 mil seguidores.

Comentários