Policial militar agride segurança por não aceitar fechamento de bar em Recife

Um tenente da Polícia Militar foi flagrado agredindo o segurança de um bar na área central do Recife, no sábado (13). O oficial partiu para cima do trabalhador por não aceitar o término do horário de funcionamento do estabelecimento, que não vendia mais bebidas quando ele chegou ao local, por volta das 5h30 da manhã. Toda a ação foi gravada pelas câmeras de segurança do bar.

Segundo testemunhas, o policial militar chegou ao estabelecimento, no bairro do Derby, por volta das 5h30 da manhã, acompanhado de um amigo. A dupla logo teria sido avisada pelo segurança de que o local estava fechando porque os funcionários trabalhavam desde cedo e estavam cansados. Mesmo assim, abriu o freezer e tirou uma cerveja. “O bar já estava fechado, todo lavado. Mas ele se sentiu no direito de invadir meu freezer, tirar uma cerveja e beber”, reclama o gerente do estabelecimento, que preferiu não se identificar.

Mesmo assim, os funcionários aceitaram que os amigos se sentassem para tomar a garrafa que haviam aberto. “O gerente convenceu o PM de que terminasse a cerveja para a gente ir embora, quando um moreno que estava com ele o insuflou dizendo que aquilo era uma desmoralização e que ele deveria tomar providências. Foi aí que ele se levantou e tomou as providências, atingindo covardemente nosso segurança”, lamenta o gerente do estabelecimento.

Depois da conversa, a dupla saiu rapidamente do bar em direção ao segurança, que estava na esquina em frente ao estabelecimento. A partir daí, toda a ação é gravada pelas câmeras de segurança. As imagens mostram que o policial já chega batendo da cabeça do segurança, sem se preocupar com a presença de outras pessoas. O segurança é jogado ao chão e recebe mais murros e chutes. Quando tenta se levantar, o amigo do oficial pega um tijolo que estava solto na calçada e joga-o na cabeça da vítima.

Após as agressões, o policial militar ainda vai de um lado para o outro da rua mostrando um revólver e ameaçando as pessoas que presenciaram as agressões. Depois, vai embora. O segurança foi socorrido e levado para o Real Hospital Português, mas já recebeu alta.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o caso. As imagens das câmeras de segurança também estão sendo analisadas pelo Comando da Polícia Militar, que disse não aceitar a prática, considerada “isolada e violenta”. A corporação ainda informou que será aberto um procedimento administrativo para adotar medidas disciplinares.

Comentários