Paulo Câmara prega “ajuda mútua” após audiência com a presidente Dilma Rousseff

Assim como os demais governadores do País, Paulo Câmara (PSB) retornou do encontro com a presidente Dilma Rousseff (PT) sem respostas concretas para as demandas que apresentou na reunião desta quinta-feira (30) em Brasília. Após o encontro, o socialista não deixou transparecer frustração com a falta de um retorno objetivo do governo federal, mas cobrou mais disposição para o diálogo por parte da petista e de sua equipe.

“Os governadores vão ajudar, mas temos que ser ouvidos. A presidente se comprometeu em fazer uma sistemática de reuniões, ou setoritas ou com todos, ou individuais. A gente espera que daqui para frente a cooperação mútua seja cada vez mais presente. A crise fiscal caminha com a crise política. É fundamental estarmos cada vez mais juntos”, falou.

FIQUE LIGADO: O governador Paulo Câmara participa de um debate na Rádio Jornal às 11h desta sexta-feira (31).

De acordo com  Paulo Câmara, os governadores presentes ao encontro com a presidente se mostraram “solidários” e se colocaram à disposição para ajudar o Brasil. O socialista espera que essa solidariedade seja uma via de mão dupla. “É importante destravar os investimentos,  dialogarmos mais. Queremos ajudar. Ela vai buscar atender os pleitos dentro de uma visão federativa”, disse.

O pedido da presidente para que os governadores atuem junto a suas bancadas na Câmara Federal e no Congresso para facilitar a aprovação de alguns projetos será acatado por Paulo. “Temos uma série de pautas que afetam  Estados e municípios e não apenas a União. Como gestores temos que conversar com a bancada, mostrar que quem for oposição ao governo federal não pode ser oposição contra o Brasil. Alguns projetos precisam ser melhor trabalhados”, afirmou.

Comentários