Paulo Câmara afaga Jarbas e diz ter certeza que ambos estarão juntos em 2016

Apesar de repetir que só tratará das eleições municipais em 2016, o governador Paulo Câmara (PSB) deu sinais de que deseja reprisar a aliança entre o PSB e o PMDB na disputa do próximo ano e teceu diversos elogios ao deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB), cotado para disputar a prefeitura do Recife contra o prefeito Geraldo Julio (PSB). “Pelo que me consta, ele não é candidato. Se ele for candidato, eu tenho certeza de que ele vai conversar comigo. Mas as nossas conversas têm sido no sentido de que ele não é candidato”, afirmou o governador, ontem, à Rádio Jornal.

“Vamos estar juntos. Eu não tenho dúvida disso. Tenho um grande parceiro que é o vice-governador Raul Henry, que tem me ajudado demais a governar Pernambuco. E eu com certeza quero estar junto com essas pessoas que têm me ajudado a governar”, disse o socialista ao JC após a entrevista.

Ouça a íntegra da entrevista no site da Rádio Jornal.

O governador afirmou ainda que vai procurar os 21 partidos que compõem a Frente Popular no próximo ano, o que passará por uma conversa com Jarbas. “Vamos defender os nossos atuais prefeitos na discussão para 2016. E queremos o apoio das pessoas que nos apoiaram em 2014. Fizemos a maior frente política em 2014 e deu certo, saímos com uma votação de mais de 70%. Então a gente quer manter Pernambuco unido. E para isso, a gente precisa ter as nossas forças políticas do nosso lado”, explicou.

Alegando que não vai contradizer algo que nunca afirmou, Jarbas Vasconcelos também não tem negado a pretensão em concorrer a prefeito da capital. Ontem, Paulo Câmara classificou como uma prioridade a reeleição dos prefeitos do PSB.

Em resposta às queixas do adversário Armando Monteiro Neto (PTB), ministro do Desenvolvimento, de que lhe falta articulação nacional, Paulo Câmara afirmou que não precisa de intermediários em Brasília para defender os interesses de Pernambuco. O governador disse que tem as portas abertas na capital federal e que sempre é muito bem atendido nos ministérios em que precisa ir.

“Quando eu precisar conversar com o ministro Armando Monteiro no âmbito de alguma ação importante em Pernambuco, vou procura-lo. Eu devo procura-lo em breve para a gente conversar sobre essa questão das concessões ali no Porto de Suape, porque acho que ele pode contribuir com as discussões”, adiantou.

Por outro lado, o governador comemorou a sinalização da presidente Dilma Rousseff (PT) de que irá ouvir e conversar mais com os governadores, apesar de avisar que não convocará uma reunião com toda a bancada pernambucana para tratar da votação das chamadas pautas-bomba, que podem ampliar os gastos do governo.

“Vou me debruçar sobre esses projetos. E vou fazer ligações e encontros pessoais. Vou conversar com o líder do PSB, Fernando Filho. Farei movimentos individuais e até setoriais, mostrando também que a gente precisa trabalhar pelo Brasil em algumas circunstâncias. Respeitando algumas posições de oposição ao governo federal”, afirmou.

Comentários