Parabéns para todas as mulheres

O maior presente que as mulheres brasileiras poderiam ter recebido em 2012 no dia internacional da mulher foi a aprovação no Senado Federal em 06/03/2012 um projeto de lei que prevê punição financeira para empresas que pagarem salários menores para mulheres que realizam as mesmas funções que os homens.

Garantir o princípio da igualdade ou da isonomia não deveria ser um direito a ser conquistado por mulheres, negros ou minorias. Mas, infelizmente num país de desiguais a lei precede o bom senso. Ao longo dos séculos vem se ganhando espaço em diversas culturas e civilizações. O pensamento ocidental e as lideranças femininas têm influenciado o mundo sobre as questões relacionadas ao preconceito de gênero.

Sabe-se que apesar da extensa jornada de mãe, trabalhadora, esposa e muitas vezes estudante a maioria dos diplomas universitários são obtidos por mulheres o que indica que estão mais preparadas profissionalmente para o mercado de trabalho. Apesar de significativa presença no mercado de trabalho nos últimos anos verifica-se, contudo, que em posições executivas de alta chefia prevalecem os homens. Exemplo mais contundente de tal discriminação.

Mulheres possuem competências notórias de planejamento, organização, poder de realização, iniciativa, criatividade, ponderação que colaboram num processo de gestão organizacional. Não quero dizer com isso que os homens também não possuam competências para altos cargos. Cada gênero é dotado naturalmente de determinadas capacidades e de acordo com a função um pode se adequar melhor do que o outro. Mas, existe uma dívida social e cultural que começa a ser revertida.

Interessante notar que mulheres tem se despontado no cenário econômico como empreendedoras no segmento de alimentos, moda, design, saúde, educação e tantos outros. Algumas com as quais tenho convivido de perto me inspiram pelo fato desse perfil surgir mais cedo nas mulheres.

Finalmente quero ressaltar o que provavelmente fez com que muitas mulheres chegassem até aqui: a garra e a determinação de lutar pelo seu espaço e objetivos.

Tornemos vivo esse projeto de lei cobrando o respeito e o espaço merecido sem perder, contudo a leveza que nos faz ter esse perfil único e um aroma suave.

A história do dia 8 de março.
No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o “Dia Internacional da Mulher”, em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Objetivo da Data

Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.

 

Conquistas das Mulheres Brasileiras

Podemos dizer que o dia 24 de fevereiro de 1932 foi um marco na história da mulher brasileira. Nesta data foi instituído o voto feminino. As mulheres conquistavam, depois de muitos anos de reivindicações e discussões, o direito de votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo.

 

Marcos das Conquistas das Mulheres na História

 

– 1788 – o político e filósofo francês Condorcet reivindica direitos de participação política, emprego e educação para as mulheres.

– 1840 – Lucrécia Mott luta pela igualdade de direitos para mulheres e negros dos Estados Unidos.

– 1859 – surge na Rússia, na cidade de São Petersburgo, um movimento de luta pelos direitos das mulheres.

– 1862 – durante as eleições municipais, as mulheres podem votar pela primeira vez na Suécia.

– 1865 – na Alemanha, Louise Otto, cria a Associação Geral das Mulheres Alemãs.

– 1866 – No Reino Unido, o economista John S. Mill escreve exigindo o direito de voto para as mulheres inglesas

– 1869 – é criada nos Estados Unidos a Associação Nacional para o Sufrágio das Mulheres

– 1870 – Na França, as mulheres passam a ter acesso aos cursos de Medicina.

– 1874 – criada no Japão a primeira escola normal para moças

– 1878 – criada na Rússia uma Universidade Feminina

– 1901 – o deputado francês René Viviani defende o direito de voto das mulheres.

Mulheres importantes para a História

Cleópatra

Cleópatra foi a última Rainha da Dinastia ptolomaica que dominou o Egito após a Grécia ter invadido aquele país. Filha de Ptolomeu XII com sua irmã, ela subiu ao trono egípcio aos 17 anos de idade, após a morte do pai. Contudo, ela teve que dividir o trono com seu irmão, Ptolomeu XIII (com quem casou), e depois, com Ptolomeu XIV.

– Maria, Mãe de Jesus

Deu a luz, criou e educou Jesus Cristo. Nasceu, provavelmente em Jerusalém, por volta de 20 a.C.

Joana D’arc

– Joana D’arc nasceu na França no ano de 1412 e morreu em 1431 (época medieval). Foi uma importante personagem da história francesa, durante a Guerra dos Cem Anos (1337-1453), quando seu país enfrentou a rival Inglaterra. Joana D’arc foi canonizada (transformada em santa) no ano de 1920.

– Rainha Vitória

Foi rainha do Reino Unido entre 1837 a 1901. Embora com poucos poderes políticos, se tornou um exemplo nacional da moral e dos bons valores e costumes.

– Anita Garibaldi

Companheira do líder revolucionário Giuseppe Garibaldi, Anita foi um exemplo de mulher corajosa e forte. Lutou ao lado do marido na Guerra dos Farrapos.

Princesa Isabel

Isabel Cristina Leopoldina Augusta Micaela Gabriela Gonzaga de Bragança, a Princesa Isabel, nasceu no palácio de São Cristóvão, na cidade do Rio de Janeiro no ano de 1846. Tornou-se a herdeira do trono brasileiro, após a morte prematura do irmão mais velho. Teve importância para a História do Brasil ao assinar a Lei Áurea em 1888, que aboliu a escravidão no país.

– Marie Curie

Cientísta polonesa, ganhou dos prêmios Nobel de Física (1903 e 1911). Fez importantes descobertas e avanços científicos na área da radioatividade. Foi também importante na descoberta de dois elementos químicos: polônio e rádio.

– Madre Teresa de Calcutá

Importante missionária católica do século XX. Lutou pelos mais necessitados. Ganhou o prêmio Nobel da Paz em 1979. Foi beatificada pela Igreja Católica em 2003.

– Irmã Dulce

Foi uma importante religiosa católica do século XX. Lutou em prol dos mais carentes e necessitado., destacando-se por suas obras de caridade e assistência social. Foi beatificada pela Igreja Católica em maio de 2011.

– Indira Gandhi

Foi primeira-ministra da Índia entre os anos de 1966 e 1977 e depois entre 1980 e 1984. Fez um governo popular, voltado para os mais os mais pobres.

– Margaret Tatcher

Política britânica, foi primeira-ministra do Reino Unido entre os anos de 1979 e 1990. Conhecida como a “dama de ferro” conseguiu implantar importantes reformas políticas e econômicas no Reino Unido.

 

Parabéns para todas as mulheres.

 

Comentários

Leave A Reply