Para pensar política

É necessário dimensionar o tema, trazer novos ares ao ambiente que parece ter se tornado na cabeça do eleitorado “detentores do real poder” a Sodoma e Gomorrah dos tempos modernos.

A política tem simplesmente se tornado adjetivo de “podre” “sujo”, um verdadeiro “pau de galinheiro”. Mas, quantos de nós debatemos política? Ou pensamos política? O poder da alienação é tão forte que as mídias convencionais e as mídias das redes sociais tem tentado “execrar” o tema, qual o objetivo? Não sei. Mas pensem, quanto menos pensamos, menos agimos, quanto mais pensarmos no tema mais seremos fortes, o combatente deve conhecer seu inimigo e quem é o inimigo? A politicagem que não é singular de política. E que não se confunda uma coisa com a outra.

Os senhores que constantemente quebram a ética política são bandidos bem vestidos, e nós? Nós sim somos os verdadeiros políticos, os detentores de um poder maior que o imaginado. Se esconder por trás de “tendências” vigaristas, de “anulação” do voto, de tendências “modistas” de não pensar política é simplesmente dar as armas ao inimigo.

Temos um histórico deprimente, não falamos de temas impactantes, mas engolimos temas “imediatistas”, como “sucessos frenéticos” da internet, e já pararam para pensar quanto tempo perdemos com isso?

A política senhores é mais que ir a urna num determinado dia ensolarado ou chuvoso e ali registrar seu voto, política é debater, é se deixar envolver pela atmosfera social, é não admitir que pessoas subvertam nossos valores. É pensar para frente, e não viver em função de um passado. Se você não se mobiliza não está “revoltado”, mas simplesmente acomodado em ver tudo ir para os ares.

A política é cíclica, e a politicagem se torna cíclica pela falta de interesse popular em defender o que é seu por direito. Não achem que os “politiqueiros” vão pedir sua opinião na hora de quebrar parâmetros éticos e morais. Então viver na inércia racional por quê?

Que nesse ano de eleição, possamos estar mais presentes, buscando soluções, debatendo melhorias para as nossas cidades, levando aos candidatos preferidos sugestões. Ouvindo-os, prestando atenção em seus diálogos e não se deixando levar por discursos prontos e pré- memorizados.

Vejam quem pode defender interesses coletivos e não aqueles interesses de meia dúzia de sanguessugas e manipuladores. Não se deixem levar por quem é detentor do falso poder “o dinheiro” , pois esse é outro mal do brasileiro, achar que só pessoas ricas podem ocupar espaços “democratizados” na política quem deve assumir são os melhores e não os mais bem engomados e de cara lisa, mas aqueles que vivem olhando para frente, para o progresso e para seu povo.

E mais uma vez lhes digo, que não votar é permitir que os piores se elejam, não caiam nesse jogo perigoso, o Brasil vive o que vive porque poucas pessoas acompanham de forma firme os debates, as propostas e também não fiscalizam e se mobilizam quando algo está errado e por isso vivemos nessa ordem social pungente.

Comentários

5 Comentários

  1. ********
    caro colunista Lucio Wagner Correia vieira estudante de direito pela faculdade de Timbaúba- PE, Militante Socialista, Domiciliado em Camutanga-PE.
    E antes de voçê se dizer “Militante Socialista”, dê uma olhadinha no significado e veja se realmente voçê pode se intitular Militante SOCIALISTA;
    Significado de Socialismo

    sm (social+ismo) 1 Toda doutrina que prega uma transformação radical do regime social, sobretudo da propriedade, visando a melhorar as condições dos trabalhadores manuais ou da indústria, bem como dos trabalhadores dos campos. 2 Sociol Doutrina que preconiza a propriedade coletiva dos meios de produção (terra e capital), e a organização de uma sociedade sem classes. 3 Polít Sistema de organização da sociedade baseado nessa doutrina. S. coletivista: sistema que pretende a solução dos problemas sociais com a coletivização da propriedade e que se biparte em dois outros sistemas principais: o do cooperativismo, por ação educativa gradual, e o do comunismo, mediante revolução. S. cristão: sistema que prega a solução dos problemas sociais pela adoção do espírito da caridade cristã, com melhor entendimento entre patrões e empregados segundo os ensinamentos da Igreja Católica. S. de Estado: teoria pela qual se faz apelo à iniciativa do Estado para a solução dos problemas sociais.

  2. Certo amigo, se isso lhe incomoda eu retiro…
    Ideologia cega, logo não preciso disso para “acreditar num mundo mais justo”
    abraços… e obrigado por ler meu texto…

Leave A Reply