Os desafios do Sport

É muito apropriado o discurso do técnico Eduardo Baptista de que “mais difícil do que chegar à ponta do Brasileirão, é se manter”. Isso porque, os rubro-negros, líderes com 18 pontos, terão uma dura missão nessa segunda metade do primeiro turno, com adversários mais qualificados pela frente e mais partidas fora do Recife. Além disso, os rivais passam agora a dar mais atenção ao Leão, estudando melhores formas de parar as suas principais armas. Em contrapartida, os leoninos têm um time equilibrado, com mais opções, unido e agora com uma gordurinha – 4 pontos o separam do 5º colocado (Grêmio).

O primeiro desafio do Sport é a maratona de cinco partidas em apenas 15 dias. Os rubro-negros visitam a Chapecoense-SC no sábado (27) e depois encaram Internacional, Avaí, Atlético-MG e Palmeiras, encerrando a sequência em 12 de julho, na Arena Pernambuco. O segundo obstáculo é a qualidade dos adversários – dos próximos 11, só dois não estão no Top 10 do Brasileirão neste momento. Tem ainda o fato de seis confrontos serem na condição de visitante. Se em casa o aproveitamento leonino é de 100%, fora cai para preocupantes 33%.

O técnico Eduardo Baptista também alerta para as dificuldades oriundas da maior atenção que os adversários passam a ter a partir de agora com o Sport. Por isso, insiste em ressaltar que o time não pode deixar a intensidade do trabalho diminuir por conta do bom momento. “Digo a eles: o difícil não é chegar, mas sim se manter entre os primeiros colocados. O nosso bom desempenho faz com que os adversários nos respeitem mais e, consequentemente, estudem mais as nossas armas. Isso nos obriga a trabalhar cada vez mais para surpreender dentro de campo”, analisou.

A favor do Sport, o fato de o técnico Eduardo Baptista ter encontrado uma formação tática que dessa mais equilíbrio à equipe. O time ganhou em poder de marcação e capacidade de finalização – marcou 14 e sofreu 7 gols. Isso só foi possível graças as peças que chegaram para reforçar o elenco, principalmente no ataque. Maikon Leite, André e Marlone dão uma qualidade ao setor mais criticado do Leão no início da temporada. Vale lembrar que Hernane Brocador ainda não estreou.

O que também vem sendo ressaltado como um dos diferenciais do Sport é a união do elenco, dentro e fora de campo. Na semana passada, atletas e funcionários do clube se reuniram em uma festa junina para comemorar o aniversário do meia Diego Souza. No domingo, foi a vez de os jogadores e suas famílias participarem de uma festinha infantil do filho do atacante Samuel. “Esse grupo é muito unido e isso faz toda a diferença em um campeonato concorrido como o Brasileiro”, afirmou o experiente Wendel.

Comentários