Os 185 municípios do Estado de Pernambuco têm notificações de dengue

Os 185 municípios do Estado têm notificações de dengue. Muito deles estão vivendo uma epidemia. Já são 8.492 casos em investigação e 1.366 confirmados neste ano. Isso em apenas dois meses e 15 dias. Essa é a situação de Pernambuco em relação à doença, segundo dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES). Recife é o município com a maior incidência absoluta de episódios notificados, 3.486. Desse montante, 708 infecções foram confirmadas, o que representa um aumento e 611,4% em comparação com o mesmo período de 2014.

Para os infectologistas, esses números revelam que população e poder público se descuidaram. As pessoas deixaram de lado cuidados simples como evitar possíveis focos do mosquito Aedes aegypti, como garrafas destampadas, pneus acumulando água e reservatórios sem tampas. Já os gestores, faltou investir em campanhas educativas.

“A população está deixando de cuidar da água parada e faltam campanhas educativas de prevenção. Houve uma explosão de registros. E os casos podem ser até maiores, pois os sintomas estão diferentes. A dengue vem se apresentando de outra forma, podendo ser apenas manchas no corpo, por exemplo. E acaba sendo subnotificada”, alertou o médico infectologista Moacir Jucá, do hospital Agamenon Magalhães, acrescentando que há uma nova forma do vírus.

Para o secretário de Saúde do Recife, Jaílson Correia, o acréscimo de casos se deve, sobretudo, às chuvas. “Quando a gente sair desse período chuvoso, o número deve baixar. Enquanto isso é uma luta constante para tentar minimizar a situação”, explicou Correia. Embora também tenha detectado a forma mais leve da enfermidade no Recife, Correia alerta para as evoluções do quadro clínico. “Mesmo com sinais brandos deve-se procurar ajuda médica. Se depois da consulta, a pessoa apresentar dor abdominal, vômitos com sangramento, alteração do nível de consciência, sonolência, dor no corpo e dificuldade respiratória o quadro piorou e os cuidados devem ser maiores”, disse.

Na entrada do hospital Geral de Areias, o auxiliar de serviços gerais, João Paulo Maciel, 34, aguardava o atendimento da sua esposa. “Desde a quinta-feira ela está com dor nos olhos e no corpo, manchas na pele, como se estivesse intoxicada”, disse. No sábado ela havia estado no hospital e foi liberada pelo plantonista, que alegou se tratar de uma virose. “Hoje ela acordou pior. Na quarta-feira, eu havia trazido minha sogra, que está com dengue. Acho que não tem foco do mosquito em nossa casa”, acredita o morador do bairro de Areias.

Combate – Na luta contra o mosquito, o Recife está fazendo plantões com os agentes ambientais em todos os bairros, segundo o gerente de Vigilância Ambiental e Controle de Zoonoses da Capital, Jurandir Almeida. “Estamos tomando várias atitudes, como o bloqueio como carro de fumaça e aspirador do mosquito. Além disso, estamos fazendo estudos nos locais com maior incidência”, disse.

Já a coordenadora estadual de Prevenção à Dengue Claudenice Pontes disse que o Estado está dando apoio a várias cidades que já superaram os 300 casos por casa cemmil habitantes, uma das características epidêmicas. “Estamos ajudando com o bloqueio em diversas cidades”, disse

Da Folha PE

Comentários