Nepalês que bebeu a própria urina lamenta amputação e diz que preferia ter morrido

Resgatado 82 horas após o terremoto em Katmandu, no último sábado, o nepalês Rishi Khanal, de 27 anos, lamentou ter sobrevivido ao desastre. Segundo a agência de notícias Reuters, ele passou três dias sob os escombros de um prédio e, para sobreviver, precisou beber a própria urina. O fazendeiro queria se mudar para Dubai, nos Emirados Árabes, para trabalhar numa sede da rede de lanchonetes Kentucky Fried Chicken, o KFC, onde receberia US$ 220 – cerca de R$ 660 – por mês. Na última quinta-feira, após ter sua perna amputada, ele disse à agência que preferia ter morrido.

“O que vou fazer no resto da minha vida? Minha oportunidade de trabalhar em Dubai acabou e eu não posso nem trabalhar como fazendeiro”, disse, no leito do hospital da Universidade de Tribhuvan. “Não tenho nem o dinheiro para comprar uma cadeira de rodas, agora. Como vou passar o resto da vida e sustentar minha família?”, questionou Khanal.

O nepalês havia chegado a Katmandu apenas três dias antes do terremoto de 7.8 graus de magnitude, numa quarta-feira. Ele vivia em uma vila no Oeste do Nepal, onde deixou sua mulher e um filho de seis meses. Seu voo para Dubai estava marcado para segunda. No sábado, ele estava na hospedaria no subúrbio de Katmandu quando, pouco antes de meio-dia, os tremores começaram.

Khanal caiu em alguns segundos e, de repente, o teto do prédio começou a desabar sobre ele. “Eu ficava gritando, pedindo ajuda, mas por três dias não ouvi nenhum barulho e não havia sinais de que houvesse alguém perto de mim”. Mal conseguindo se mover, o nepalês pegou um lenço de seu bolso, molho na própria urina e espremeu em sua boca, para se hidratar. “Me deu mais energia para gritar, e eu sobrevivi”, lembrou. O fazendeiro só foi resgatado na terça-feira e os médicos não conseguiram salvar sua perna.

Comentários