Náutico precisa melhorar rendimento fora de casa

Buscar pontos no território inimigo. Após o tropeço contra o Macaé por 1×1, no último sábado, o Náutico terá as duas próximas partidas longe da Arena Pernambuco, contra o CRB, no próximo sábado, e Bahia, no dia 11. Além dos adversários, o Timbu precisará lutar contra um retrospecto ruim fora de casa para voltar ao G-4 da Série B. Após 16 rodadas da Segundona, os alvirrubros ocupam a quinta posição, com 28 pontos, mesma pontuação vice-líder Vitória, mas perdendo no saldo de gols (9×4).

O Timbu só continua empatado em pontos com o vice-líder porque a 16ª rodada foi ruim para o pelotão da frente, com os empates de Paysandu (6º, com 27), Vitória (2º, com 28), América-MG (3º, também com 28) e Botafogo (1º, com 30). A exceção foi o Bahia, que goleou o ABC, fora de casa, e assumiu a vice-liderança da Segundona, também com 28 pontos.

Em sete jogos como visitante na Série B, o clube da Rosa e Silva tem apenas uma vitória, com mais dois empates, quatro derrotas e um aproveitamento de 23,8%. “Essa sequência nos dará a oportunidade de uma recuperação fora de casa. Poucos times tem um bom aproveitamento longe dos seus estádios. Existe um equilíbrio, em todas as equipes, entre o número de pontos conquistados dentro e fora de casa. Mesmo assim, precisamos ter uma postura diferente para conquistar resultados positivos para a nossa campanha longe da Arena”, explicou o técnico Lisca.

O treinador, porém, descarta que vir de dois jogos sem vencer aumenta ainda mais a responsabilidade sobre o elenco. “Pressão é pra quem está no Z-4, situação que o Náutico está distante. Lá é bem complicado. Hoje, temos a mesma pontuação do vice-líder. O pelotão da frente deu uma freada e o de trás cresceu. Precisamos nos manter lá em cima para poder brigar até o fim pelo acesso”, ressaltou o comandante alvirrubro.

Autor do gol do Timbu no empate com o Macaé, Fabiano Eller acredita que, se o Náutico realmente quiser subir ou até vencer a Série B, os pontos fora de casa são fundamentais. “O resultado (contra o clube carioca) não foi bom. Sei que nosso retrospecto longe do Recife não tem sido favorável, mas quando a gente não consegue a vitória dentro de casa, tem que buscar fora. Nessa competição, com o que a gente almeja, que é o título ou o acesso, a gente tem que pontuar fora”, frisou o zagueiro do Timbu.

Mesmo com o bom saldo dos alvirrubros na Arena Pernambuco, com sete vitórias, dois empates e um aproveitamento de 85%, o experiente zagueiro cobrou uma postura mais firme da equipe longe dos seus domínios. “Não adianta esperar só ganhar no Recife e querer subir, porque também existem os tropeços. Acontece de equipes perderem jogando em casa. Temos que correr atrás de pontuar fora”, finalizou.

Comentários