Náutico perde do Salgueiro por 4×1 e está fora do Campeonato Pernambucano

Em uma partida tumultuada e com polêmica de arbitragem, o Náutico amargou sua segunda eliminação precoce em apenas 18 dias. Depois de dar adeus à Copa do Nordeste ainda na fase de grupos, o time não conseguiu se classificar às semifinais do Campeonato Pernambucano. Neste domingo, entrou em campo com a vantagem do empate, mas acabou goleado por 4×1 pelo Salgueiro, no Cornélio de Barros. Foi o último capítulo de uma campanha pífia.

Com o resultado, o Náutico terminou o Hexagonal do Título na lanterna, com 10 pontos em 10 partidas. Foram apenas duas vitórias conquistadas. A derrota não selou apenas a eliminação do Pernambucano como também deixa os alvirrubros fora da da Copa do Nordeste de 2016. Já o Salgueiro, que há 18 dias tinha sido o algoz do Timbu no Nordestão, ficou com a última das quatro vagas nas semifinais. Vai enfrentar o Sport, nos dias 19 e 26 de abril. O primeiro confronto no Sertão e o segundo na Ilha.

Galeria de imagens

Legenda
Anteriores

Próximas


O JOGO

O primeiro tempo foi daqueles de dar “calo na vista”. Salgueiro e Náutico fizeram uma partida de baixo nível técnico. Mais organizado, o Carcará conseguiu chegar duas vezes com perigo, enquanto que os alvirrubros, com uma postura excessivamente defensiva, finalizaram apenas uma vez ao longo de 45 minutos.

Na sua primeira chegada, o Salgueiro abriu o placar. O volante Rodolfo Potiguar iniciou no campo de defesa a jogada que terminou com ele mesmo cabeceando para o fundo da rede, após cruzamento de Marcos Tamandaré: 1×0, aos 9 minutos. O gol deixou os alvirrubros atordoados. O time mal conseguia passar do meio-campo. O Salgueiro passou a ser o dono das ações, e quase ampliou em chute de Valdeir, aos 37.

O Náutico chegou apenas uma vez em todo o primeiro tempo. Foi aos 27, quando Gaston Filgueira cruzou da esquerda e Bruno Alves cabeceou para uma boa defesa de Luciano. No fim da etapa inicial, os alvirrubros perderam Pedro Carmona, que sentiu uma lesão na coxa direita e foi substituído por Stefano Yuri.

No segundo tempo, o Náutico foi para o tudo ou nada. Afinal, o empate lhe daria a vaga nas semifinais. Mas os alvirrubros não contavam com um chutaço de Valdeir, logo aos 4 minutos, no ângulo direito de Júlio César: 2×0. Em vantagem, o Salgueiro mandava na partida, inclusive quando ficou com um homem a menos – Pio foi expulso.

Até que veio o lance que roubou a cena da partida. Aos 26 minutos, o árbitro Nielson Nogueira marcou um pênalti inexistente a favor do Náutico, de Marcos Tamandaré sobre Renato. Só que quando Bruno Alves se preparava para a cobrança, o quarto árbitro Gleydson Leite entrou no gramado e demoveu o juiz da marcação. Foi o início de uma enorme confusão.

Os alvirrubros foram para cima reclamando de uma interferência externa. Na discussão, o goleiro Júlio César foi expulso. Como o Náutico já havia realizado as três substituições, João Ananias assumiu o papel de arqueiro. Só que não deu para o volante parar o Salgueiro, que ampliou aos 41 e aos 49 minutos.
Primeiro com Valdeir e depois com Moreilândia. Bruno Alves fez o único do Timbu.

Comentários