'Não merecia morrer assim', diz irmã de jovem assassinada e jogada em rio

Emerson de Barros Lins, de 18 anos, que confessou ter matado a jovem Paola Bulgarelli, em Araçatuba (SP), está preso na cadeia de Penápolis (SP) em uma cela separada dos outros detentos. Ele foi transferido de Castilho (SP), onde foi preso, durante a madrugada desta segunda-feira (15). A família, que ainda tenta se recuperar da morte da jovem, espera justiça. “Minha irmã não merecia morrer assim não. A gente quer Justiça, eu o perdoo, mas quero que a polícia prenda ele e que jogue na cadeia, onde vai saber o que é Justiça. Tem de levar para uma cadeia que vai sofrer. Ele chorou, mostraram uma foto dele chorando, mas não foi de arrependimento não, foi de medo porque ele sabe o que vai acontecer com ele”, afirma a irmã Mariah Bulgarelli.

Paola, de 20 anos, morava em Araçatuba e estava desaparecida desde o dia 5, quando saiu para trabalhar e não foi mais vista. O corpo dela foi encontrado na tarde de sexta-feira (12) no rio Baguaçu, em um conjunto de chácaras dentro da cidade.

Segundo o tenente da Polícia Militar Arilson Lugão, Emerson confessou que abusou da jovem e a matou. “Ele confessou que estava com a vítima, que apontou como sendo amiga dele, caminhando próximo ao rio Baguaçu. Lá ele a agarrou, estrangulou, abusou sexualmente e depois matou com pauladas na cabeça”, afirma o tenente.

A polícia deve ouvir outras testemunhas nos próximos dias para confrontar o depoimento dos suspeitos. Como não houve flagrante, Emerson teve decretada prisão temporária de 30 dias. “Mesmo tempo que senti um alívio de ter achado o culpado desse caso, fiquei com coração apertado porque nunca ia esperar de uma pessoa que ia em casa. Uma coisa falo: cuidado com a pessoa que frequenta a sua casa, ele vinha em casa e olha o que ele fez com a minha irmã”, afirma Mariah.

Entenda o caso
Paola Bulgareli, de 20 anos, saiu para trabalhar na sexta-feira (5) e não foi mais vista. A família foi dar conta do sumiço apenas no sábado (6), porque os familiares acharam que a jovem havia dormido fora de casa e tinha se esquecido de avisar. Após ligar para os colegas de trabalho e conhecidos da garota, a família entrou em contato com a polícia, que deu início às investigações.

O corpo foi encontrado na tarde da última sexta-feira (12) com ferimentos na cabeça no rio Baguaçu, em Araçatuba, que fica num conjunto de chácaras dentro da cidade. Os bombeiros usaram bote e cordas para retirá-lo da água.

Na manhã deste sábado (13), o corpo foi enterrado. A família reconheceu o corpo como sendo de Paola Bulgarelli. O reconhecimento foi suficiente para a polícia liberar o corpo para ser velado.

 

Comentários