Nação Zumbi volta ao Central Park Summerstage 20 anos depois

Nação Zumbi volta a tocar amanhã no festival SummerStage, no Central Park, em Nova Iorque, palco onde 20 anos atrás iniciou a primeira turnê internacional, com Chico Science. Antes do show, haverá um debate sobre o manguebeat, com a participação de Bill Bragging ­ que produzia o evento em 1995 ­ da jornalista Deborah Cohen, do produtor Beco Dranoff e do guitarrista Lúcio Maia, da Nação Zumbi. A abertura fica por conta do grupo nova­iorquino Nation Beat, que mistura maracatu, forró com ritmos de Nova Orleans.

Em 20 de junho de 1995, CSNZ e Gilberto Gil apresentaram­se no SummerStage, numa época em que a MPB no exterior se resumia à bossa nova, e o próprio Gil ainda precisava ser apresentado ao leitor americano, como fez o New York Times na matéria (assinada por Neil Strauss) em que cobriu ambos ­ o veterano baiano e o novato pernambucano ­ de elogios. Chico Science & Nação Zumbi abriu o show para Gilberto Gil. Chico e Gil cantariam juntos, numa apresentação histórica e memorável que, felizmente, foi registrado para posteridade, graças ao jornalista Ricardo Carvalho, da produtora RTV: “Eu soube de Chico Science, por Carol, minha filha, que viu um show deles no Abril Pro Rock, e elogiou muito”, conta Carvalho. “Depois num show no Natal, de 93 ou 94, na Rua do Bom Jesus, fiquei entusiasmado. Quando soube que o grupo ia tocar em Nova Iorque, contratei uma jornalista daqui que morava lá, Regina Lima. Ela e um cinegrafista argentino registraram cerca de duas hora de imagens.”

Editado, pelo jornalista Marcílio Brandão, o show foi exibido pela TV Jornal. Um trecho de cinco minutos será exibido, hoje, antes do show do NZ. “Inicialmente, a ideia de Bill Braggin era colocar CSNZ com The Roots, o rap começava a ficar mainstream nos EUA, ou com a Soul Coughing, o rock alternativo estava nas paradas americanas nos anos 90”, conta Paulo André Moraes, produtor do grupo na época. Ele revela que Gil pediu a lista de quem ia tocar e quis a CSNZ no dia dele.

(leia matéria na íntegra na edição de hoje do Jornal do Commercio)

Comentários