Médica que mandou cortar pênis do ex-noivo deixa cadeia em Minas Gerais

A médica condenada por mandar cortar o pênis do ex-noivo conseguiu o direito de cumprir a pena em regime domiciliar. Myriam Priscila Rezende de Castro deixou o Centro de Referência à Gestante Privada de Liberdade, em Vespasiano, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais, na última semana. Desde então, ela está sendo monitorada pela tornozeleira eletrônica. O crime aconteceu em 2002.

Myriam deu â luz gêmeos no último dia 4. Os bebês nasceram prematuros, após seis meses de gestação. No dia 12 do mesmo mês ela recebeu alta e foi transferida para a unidade prisional. Conforme parecer do juiz Marcelo Augusto Lucas Pereira, a condição domiciliar é "excepcional e provisória", vigente "enquanto os recém-nascidos necessitarem de atenção médica, por algum risco de vida ou sensível exposição da saúde".

Ainda segundo o juiz, é preciso que a médica comprove vínculo de trabalho no prazo de 30 dias, a partir da soltura. Sobre a duração da prisão domiciliar, o advogado de Myriam, Giovanni Caruso Toledo, afirmou que, embora provisória, a médica deve permanecer fora da prisão, uma vez que passa a ter direito ao regime aberto a partir do dia 1º de abril. 

Entenda o caso

Segundo a Polícia Civil, Myriam Priscilla contratou três homens para mutilar o ex-noivo. A motivação seria o fim do relacionamento que aconteceu três dias antes do casamento. De acordo com o processo, o crime aconteceu na frente do irmão da vítima. Myriam também teria incendiado o carro e a casa do ex-noivo.

 

 

Comentários