Maracatu agora é Patrimônio Cultural do Brasil

O título foi concedido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) ao Baque Solto e Baque Virado. Cavalo marinho ganhou a mesma honraria

Uma expressão cultural genuinamente pernambucana ganhou o título de Patrimônio Cultural do Brasil, concedido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O maracatu, em suas duas variações, Nação e Rural, recebeu o título – por unanimidade – durante reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural da instituição.

O maracatu Nação, conhecido como de Baque Virado, foi o primeiro a ter a honraria confirmada, no início da manhã desta quarta-feira. O conjunto percussivo que acompanha um cortejo real sai às ruas durante o Carnaval, com reis, rainhas, orixás, baianas e outros personagens. Os vínculos com o sagrado e a manutenção das relações comunitárias estão entre as atribuições desse maracatu.

O maracatu de Baque Solto ou Rural foi agraciado no início da tarde. O folguedo, brincado por trabalhadores do campo, apresenta caboclos vestidos com mantos coloridos, guiadas, relhos e chapéus.

Durante reunião na tarde desta quarta-feira (03), o folguedo cavalo marinho também foi contemplado com o título. Tradicional da Zona da Mata pernambucana, o folguedo é geralmente realizado ao longo de uma noite inteira, com coreografias e encenações. A cultura do cavalo marinho teve como grande expoente em Pernambuco o rabequeiro Mestre Salustiano, cuja influência chegou até aos mangueboys dos anos 1990.

Comentários