Mais de dez mil trabalhadores da Mata Norte se cadastraram no Chapéu de Palha

O Chapéu de Palha da Zona Canavieira cadastrou, na primeira etapa, 10.735 trabalhadores da Mata Norte do Estado. As inscrições terminaram na última sexta-feira (17) em 25 municípios da Região. O número poderá se ampliado, porque algumas usinas adiaram as demissões para o final deste mês e a Secretaria de Planejamento e Gestão do Estado, coordenadora do programa, fará o cadastro desses trabalhadores.

A segunda etapa do cadastramento da Zona Canavieira ocorrerá entre os dias 4 e 8 de maio, na Mata Sul. Serão beneficiados trabalhadores da cana-de-açúcar de 28 municípios.

O programa Chapéu de Palha atua em três frentes: Zona Canavieira, Fruticultura Irrigada e Pesca Artesanal. Está em andamento o atendimento dos agricultores da Fruticultura Irrigada, no Sertão, onde são beneficiados 9.897 pessoas em sete municípios da Região. Na próxima segunda-feira (27), terá início a primeira etapa do cadastramento dos pescadores do Agreste e do Sertão.

Além da bolsa financeira, complementar ao Bolsa Família, os beneficiados no Chapéu de Palha participa de cursos de capacitação, oferecidos em parceria com as seguintes secretarias estaduais: Educação; Meio Ambiente e Sustentabilidade; Agricultura e Reforma Agrária; Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo e Mulher. Se o trabalhador cadastrado no programa não puder participar dos cursos, pode indicar uma pessoa do seu núcleo familiar para fazer uma das atividades oferecidas.

O Programa – Implementado pela primeira vez na gestão do ex-Governador Miguel Arraes, o Chapéu de Palha foi resgatado para atender aos trabalhadores rurais da palha da cana e suas famílias, na região da Zona da Mata, durante o período da entressafra da cana de açúcar. Hoje, o Programa tem três frentes de atendimento: o Chapéu de Palha da Fruticultura, da Cana-de-Açúcar e da Pesca. Funciona com a coordenação da Secretaria de Planejamento e Gestão e várias secretarias envolvidas para a realização de atividades educativas, de reflorestamento, emissão de documentos, entre outras ações com foco na melhoria da qualidade de vida do trabalhador. Em 2012 foi premiado pela Organização das Nações Unidas (ONU). Em Nova York, o ex-governador Eduardo Campos recebeu o prêmio como um reconhecimento às ações governamentais que contribuem para a inclusão social.

Comentários