Kim Kardashian posa decotada em revista e conta que se vê como feminista

Kim Kardashian não para de causar. A morena, capa da revista “Rolling Stone” dos Estados Unidos, que chega às bancas nesta sexta-feira, posou decotadíssima e falou sobre questões polêmicas na sua trajetória. Em entrevista à publicação, a morena contou como imaginava sua vida no fim da adolescência e que espera ser lembrada daqui a 20 anos como empresária e símbolo sexual. “Eu acho que eu vou dar conta de tudo”, assegura.

Aos 34 anos, a mulher de Kanye West, fotografada por Terry Richardson para a revista, relembra como eram seus sonhos no primeiro casamento, com o produtor musical Damon Thomas, 14 anos atrás.

“Fiquei muito feliz em casa, aprendendo a cozinhar, limpar e manter um lar. Tinha certeza de que era assim que eu iria acabar”, conta a empresária à publicação.

Com a vida modificada e na mira dos holofotes da imprensa mundial de celebridades, Kim acabou trilhando outros caminhos, como o de empresária, socialite e celebridade instantânea da internet. Ao analisar a transformação, ela conta que hoje a definiria com outro comportamento.

“Pode me chamar de feminista, apesar de eu nunca ter ligado para rótulos e não gostar de impor meu ponto de vista. Por exemplo: se eu sentir alguma coisa, aquilo é o que sinto, mas vou dizer “Eu me sinto desta maneira, então vocês também devem se sentir assim. Não que esteja errado agir assim, mas é o que sou”, afirma.

A empresária fala ainda do vídeo íntimo vazado na internet há 12 anos, em que ela aparece tendo relações sexuais com o rapper Ray J. O suspeito de ter publicado as imagens na web já teria sido identificado, de acordo com a “Rolling Stone”.

“Estamos mantendo em sigilo, então não posso comentar”, despista Kim Kardashian, que em seguida responde sobre como se sente ao imaginar que milhares de pessoas podem tê-la visto em momentos íntimos: “Procuro não pensar. Isso esteve na minha mente durante muitos anos, mas quando eu me livro de um pensamento, realmente o faço”.

Comentários