Incêndio destrói lancha e deixa pelo menos quatro feridos em Paulista, PE

Um incêndio em uma lancha, na travessia do canal de Nova Cruz, em Maria Farinha, município de Paulista, no Grande Recife, assustou as pessoas que estavam no local, no começo da tarde deste sábado (21). De acordo com testemunhas, a embarcação apresentou uma falha no motor e pegou fogo. Os ocupantes se jogaram no Rio Timbó e foram socorridos inicialmente por populares e depois pelo Corpo de Bombeiros.

Oito pessoas estavam na embarcação, mas não há um número preciso de quantas se feriram. O Hospital da Restauração (HR) confirmou que quatro pacientes deram entrada lá — um homem e três mulheres. Primeiramente, as mulheres foram atendidas no Hospital Miguel Arraes, mais próximo do local da ocorrência.

De acordo com a assessoria de comunicação do HR, os quatro pacientes foram socorridos com queimaduras de 1°, 2° e 3° grau, com até 30% do corpo queimado, estão estabilizados na unidade de traumas e não correm risco de morte. Ainda de acordo com a assessoria, os pacientes vão ser deslocados para a unidade de queimados para passar por curativos.

Parentes de André José Moreira Medeiros estão em frente à emergência do hospital e preferiram não falar com a imprensa. As outras vítimas são mulheres e têm 36, 56 e 58 anos de idade.

Por volta das 19h, a Capitania dos Portos de Pernambuco divulgou uma nota oficial, informando que enviou uma equipe ao local, assim que tomou conhecimento do acidente. Segundo essa análise, a lancha tinha capacidade para 11 passageiros e um tripulante. Toda a documentação da embarcação está regularizada e o condutor tem habilitação adequada e dentro do prazo de validade.  

O Corpo de Bombeiros encaminhou as vítimas para três hospitais do Grande Recife. No domingo (22), inspetores da Capitania vão fazer nova perícia no local. A lancha já foi retirada do canal e não oferece risco a quem navegar por lá. Também não foi registrada ocorrência de poluição hídrica. Um inquérito foi aberto pela Capitania para apurar o que ocorreu e provocou o acidente. A investigação deve ser concluída em 90 dias.

O que dizem as testemunhas
O engenheiro Marcelo Borges estava no local praticando jet ski e ainda tentou ajudar jogando água dentro da lancha, mas não evitou o pior: as chamas consumiram tudo. “Assim que vimos o fogo, eu e mais alguns amigos que estávamos dentro do rio tentamos ajudar. Dei vários ‘cavalos de pau’ colocando agua dentro da lancha, mas o fogo consumiu tudo”, contou.

Enoque Fernandes, funcionário da Jet Park, que fica em frente ao local onde a lancha parou, falou do susto que os pescadores e os demais presentes tiveram. “Vários pescadores e também os nossos praticantes de jet ski tomaram um susto. Quando eu vi o fogo tomando conta da lancha, o pessoal saiu logo do rio”, disse.

O barco percorreu cerca de 50 metros até parar próximo ao Zumbi Safari e ser completamente consumido pelo fogo.

 

Comentários