PM

Visando estimular e valorizar o trabalho dos policiais civis e militares, o Governo do Estado anunciou, nesta quinta-feira (29), que está promovendo uma série de mudanças no pagamento das Gratificações do Pacto Pela Vida (GPPVs). As modificações já passam a valer a partir de fevereiro.

Agora, a GPPV passará a ser calculada pelo desempenho individual dos policiais civis e militares, e não mais de acordo com o resultado da unidade a qual o oficial faz parte. Já o projeto Malhas da Lei, através de uma escala de pontos, bonificará todos os policiais que cumprirem mandato de prisão (atualmente, são 600 cumpridos por mês, e cada um vale de R$ 80 a R$ 400, divididos com todos os envolvidos na operação).

Na GPPV de Repressão ao Crack, o policial civil ou militar será premiado de acordo com a quantidade de droga apreendida, com os 50 melhores recebendo mil reais, R$ 500 do 51º ao 100º e R$ 250 do 101º até 150º.

Outra boa notícia é o aumento no valor da recompensa por apreensão de armas de fogo (flagrantes de armas sem registro e/ou autorização legal). Atualmente, o bônus varia de R$ 300, por armas de fogo curtas e semi-automáticas) a R$ 1,5 mil (armas de uso restrito, como fuzis e metralhadoras). Com a nova proposta, as bonificações irão de R$ 700 à dois mil reais.

No Prêmio da Defesa Social (PDS), outra alteração positiva para os profissionais da segurança pública. Se hoje o PDS leva em conta exclusivamente os resultados em função do desempenho do Estado no processo de redução dos Crimes Violentos Letais Internacionais (CVLI), agora a bonificação será em virtude do resultado na área de atuação de cada policial, com um bônus quando Pernambuco atingir a meta do CVLI.

O PDS anterior variava de R$ 112 (com 6% de redução do CVLI) a R$ 3 mil (12%) para os oficiais, delegados, peritos criminais e médicos legistas, e de R$ 62 (até 6%) a R$ 2 mil para os praças, agentes, escrivães, auxiliares de peritos e de legistas e papiloscopistas. Agora, o Prêmio da Defesa Social por área de atuação terá bônus de R$ 2,4 mil a R$ 560 para a primeira categoria e de R$ 1,6 mil a R$ 320 para o segundo setor. Caso o Estado também alcance a CVLI, haverá uma bonificação extra, que pode chegar a um acréscimo de até 25% na bonificação.

De acordo com o secretário de Planejamento e Gestão, Danilo Cabral, com a nova metodologia, os policias terão um maior estímulo a produtividade. Já o Secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, também destacou a importância da decisão. "As medidas demonstram a sensibilidade do Governo com a valorização dos policiais e o fortalecimento do Pacto Pelo Vida", afirmou.

Comentários