Ensino religioso vs Estado Laico

Nossa Constituição cidadã de 1988 elevou a categoria de Estado Laico, ou não confessional nossa Republica, sendo assim o Estado, nenhum dos seus poderes, Legislativo, Executivo e Judiciário ou qualquer setor da administração pública direta ou indireta deveriam manter relações “apaixonadas” com qualquer religião ou credo, pois isso configuraria ofensa a laicidade.

Mas o dia a dia mostra que a nossa realidade é outra, totalmente diferente e cheia de liturgias dentro de vários setores Públicos. Não sou contra o ensino religioso, desde que esse seja ministrado nos respectivos templos. Religião é sentimento, convicção filosófica, o estado não pode interferir, todo cidadão é livre para acreditar no que quiser, ou não isso não o torna menos cidadão, mas compeli-lo a receber educação de determinada crença nas Escolas fere outro importante principio, o democrático que deve reconhecer também a diversidade de pensamentos e comportamentos.

O ensino religioso nas escolas do Brasil configura uma afronta aos preceitos constitucionais, pois, na maioria dos casos é lecionado por alguém com certa convicção, ou se dá ferramentas para que todos, indistintamente tenham acesso as suas respectivas crenças, o que se tornaria quase impossível, ou retira-se do ambiente Público aspectos confessionais .

Sou de família protestante, fui levado aos cultos, e lá, nos templos e em casa recebi a educação religiosa de acordo com as doutrinas daquela igreja, sem interferência do estado, isso é democracia, temer isso é temer uma sociedade mais igualitária, fraterna e tolerante.

Comentários