Empreendedorismo dos jovens de PE é destaque em pesquisa nacional

O espírito empreendedor dos jovens pernambucanos é destaque em uma pesquisa que mostra o perfil profissional dos universitários brasileiros. De acordo com o estudo Empreendedorismo nas Universidades Brasileiras, abrir o próprio negócio é um dos maiores desejos da juventude atual. Quase 60% dos entrevistados querem abrir uma empresa. E os pernambucanos saem na frente quando se fala no tamanho desse negócio: 18% deles esperam ter mais de 25 empregados após cinco anos de funcionamento, já a média nacional é de 11%.

A pesquisa Empreendedorismo nas Universidades Brasileiras ouviu 5 mil estudantes de universidades públicas e privadas de todo o país. O trabalho durou um ano e foi conduzido pelo Sebrae em parceria com a Endeavor, uma organização não governamental (ONG) que incentiva o empreendedorismo mundial em 25 países. “A gente vê que os universitários querem empreender o quanto antes e temos a felicidade de perceber que os pernambucanos sonham mais alto [em relação ao número de empregados]”, afirma Igor Piquet, coordenador regional da Endeavor.

Piquet ainda conta que os alunos da área de humanas se mostram mais propícios ao empreendedorismo que os alunos de saúde. “A gente observa que os alunos de administração e economia têm mais acesso a conteúdos desse tipo. Por consequência, tendem a ter mais interesse em empreender e se mostram mais otimistas”, explica.

O estudo também mostrou que o desejo de empreender não fica apenas nos planos futuros dos universitários brasileiros. Cerca de 23,5% dos entrevistados afirmaram que já tiveram alguma experiência empreendedora. Outros 11,2% já exercem a atividade atualmente. O pernambucano Lucas Queiroz é um deles. Ele é estudante universitário e montou uma empresa de anúncios para dispositivos móveis em 2011. No início, tinha seis empregados. Hoje, já são 15. “Aqui, a gente tem independência para levar nosso projeto à frente e escolher para onde a gente vai. Não é como em um emprego fixo, onde você só cumpre ordens. Não me vejo fazendo só isso”, afirma Lucas.

Pernambuco também é destaque quando se fala na confiança dos jovens empreendedores. De acordo com a pesquisa, quase 21% dos universitários do estado consideram ter uma ideia inovadora — a média nacional é de 15,3%. Alguns desses jovens são estudantes da Faculdade de Administração (FCAP) da Universidade de Pernambuco (UPE) e criaram a Liga Universitária de Economia Criativa para estimular o espírito empreendedor entre os colegas. Hoje, o grupo já conta com 20 membros. “A gente quis fazer com que os estudantes da FCAP vissem o mercado da economia criativa, que é muito forte aqui em Pernambuco, e nele conseguissem desenvolver seus próprios negócios. Então a gente faz palestras e rodadas de negócios”, conta Péricles Borba, um dos membros do projeto.

Comentários