Em um mês, mais de mil carros e motos foram roubados em PE

Mais de mil automóveis foram roubados em Pernambuco em apenas um mês. De acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS-PE), 510 carros e 556 motos foram roubados no estado somente em janeiro deste ano. É uma média de 35 veículos por dia. A maior parte das ocorrências foi registrada na Região Metropolitana do Recife: 307 carros e 205 motos. Na capital, a maior parte dos roubos aconteceu no bairro de Boa Viagem.

“Quando consideramos os números absolutos, Boa Viagem é o bairro com maior incidência. Isso acontece porque, nos roubos, os criminosos se interessam pelos objetos pessoais da vítima e eles sabem que quem reside naquela área tem um poder aquisitivo maior. Por isso, vai ter um celular mais moderno, por exemplo”, explicou o delegado Diego Acioli, da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos. Em Setúbal, o número de roubos também é grande. “Lá, os criminosos têm uma rota de fuga fácil para locais como a Imbiribeira e o Ipsep”, completa Acioli.

Já quando se trata de furtos, a maior parte dos casos registrada na capital pernambucana está na Zona Norte, em bairros como Casa Amarela, Espinheiro, Aflitos e Casa Forte. Em entrevista ao Bom Dia Pernambuco desta quarta-feira (4), o delegado explicou que há uma diferença na atitude dos suspeitos na prática de roubos e de furtos. Por isso, o desencontro no local com maior número de ocorrências.

“O roubo é um crime de oportunidade. O veiculo em si não é o objeto de desejo dos criminosos. Eles abordam a vítima com o intuito de levar seus objetos pessoais, como a carteira, o dinheiro, o celular e os objetos que estão dentro do veículo. Por isso, acontece quando surge a oportunidade. O criminoso passa por determinado local e observa a chance de roubar o veículo. Isso acontece, por exemplo, quando as pessoas ficam do lado de fora do carro falando no celular. Diferentemente do crime de furto, que na maioria das vezes acontece no horário noturno e o objeto de desejo dos criminosos é o veiculo em si”, esclarece Acioli.

Ainda segundo o delegado, nos furtos, os criminosos procuram não ter contato com a vítima para não serem identificados. Por isso, agem normalmente em locais mal iluminados e sem movimento de pessoas, como as ruas desertas dos bairros da Zona Norte da capital pernambucana, onde muitos carros passam a noite estacionados. Segundo o delegado, uma dica para evitar a infelicidade de acordar e não ver mais o carro onde o havia deixado é estacionar os veículos na frente dos edifícios. “Locais mais iluminados e com câmeras de segurança, que podem ajudar na identificação dos criminosos”, explica.

Já para facilitar a recuperação das motonetas, as chamadas cinquentinhas, a dica é personalizar os automóveis com objetos como adesivos. “É mais difícil recuperar uma cinquentinha porque não existe um banco de dados desses veículos, como acontece com os carros e as motos no Detran. O único modo de identificação das cinquentinhas é através do chassi. Então, o ideal é guardar nota fiscal do veículo e personalizá-lo com sinais possam identificar e individualizar o bem”, afirma o delegado.

Já para prevenir o roubo dos veículos, a dica é mesmo ficar atento. “Muitas pessoas, ao chegaram em suas residências, permanecem muito tempo no veiculo falando no celular ou acessando internet. E isso é uma oportunidade para o criminoso cometer o crime. Por isso, evite ficar muito tempo no carro e, quando for fazer um roteiro que não conhece, veja o itinerário com antecedência para evitar passar por locais desertos”, diz Acioli.

Números
O número de roubos e furtos de veículos em Pernambuco também foi alto no ano de 2014. Segundo a SDS, foram roubados 6.478 carros e 556 motos no estado no ano passado. De acordo com a Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos, o número é 14% que o do ano anterior. “Houve aumento de 14%, porém o aumento da frota foi de 22%. Ou seja, a frota aumentou mais que a criminalidade. Mesmo assim, estamos combatendo diariamente contra essa prática”, ameniza o delegado Diego Acioli.

Comentários