Em estado de greve, docentes de PE paralisam atividades por dois dias

Em assembleia na tarde desta segunda-feira (23), no Recife, professores da rede estadual de ensino decidiram manter o estado de greve, decretado no último dia 13 de março. A categoria teve uma reunião com representantes da Secretaria de Administração (SAD), pela manhã, e considerou que não houve avanço na negociação por maior reajuste salarial. Estão programadas uma passeata ainda nesta segunda-feira, do Teatro Boa Vista à sede do governo estadual, pela Avenida Conde da Boa Vista, e paralisação de aulas na quarta (25) e quinta-feira (26).

A assembleia ocorreu no Teatro Boa Vista, no Colégio Salesiano, no Centro, com presença de 1.500 professores, segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe). “O reajuste que o governo propõe no piso exclui 90% da categoria, e essa lentidão no processo [de negociação]indignou a categoria, que decidiu pela paralisação na quarta e quinta e permanência do estado de greve”, disse o presidente do Sintepe, Fernando Melo.

A categoria é contra o projeto de lei do governo que prevê um aumento de 13,1% no piso salarial dos professores que não têm licenciatura, ou seja, possuem apenas a formação média. A categoria pede que o aumento seja para todos os profissionais da rede estaudal, uma vez que não há nenhuma previsão de reajuste para aqueles que têm licenciatura.

Sobre a paralisação de 48 horas decretada pelos professores, a Secretaria de Educação do Estado informou que não haverá prejuízo para o calendário escolar para os estudantes, pois os dois dias serão repostos. Já a SAD disse que durante a reunião com o Sintepe, nesta segunda-feira, foi firmado o compromisso que garante a continuidade ao processo de negociação com a categoria para reajustar o percentual dos professores com licenciatura, a garantia do piso nacional de salários definidos pelo Ministério da Educação retroativo a janeiro de 2015 e a realização de uma terceira reunião, em 30 de março. “A gente espera que neste próximo encontro a gente tenha proposta concreta do governo do Estado”, disse Melo.

Na última quarta-feira (18), professores fizeram um ato diante da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), na região central do Recife. Na ocasião, a categoria também foi recebida pela SAD, que informou em nota que enviou para a Alepe um projeto de lei para “garantir o pagamento do piso salarial dos professores do Estado, em cumprimento à Lei Federal n.º 112, de 6 de junho de 2008, de R$ 1.917,78”, que tem efeito retroativo a janeiro deste ano. São beneficiados 4.060 professores, aproximadamente 10% dos profissionais de educação.

Comentários