Em dia de Souza, Bahia ganha por 3×2 e elimina o Sport na Copa do Nordeste

Depois de um bom primeiro tempo, o Sport sofreu um apagão nos 45 minutos finais e perdeu a chance de conquistar o bicampeonato da Copa do Nordeste. Após sair na frente do placar, neste domingo (12), na Arena Fonte Nova, em Salvador, o Leão, que jogava por qualquer empate com gols para chegar à final, não conseguiu administrar a vantagem. Liberado pelo volante Souza, autor dos três gols da vitória histórica, o Bahia foi superior no segundo tempo, ficou à frente no placar em duas oportunidades e agora fará a final da competição contra o Ceará.

Colocar a desclassificação exclusivamente na conta do técnico Eduardo Baptista, que mexeu errado no intervalo do jogo, pode até soar como injusto, mas a saída de um dos três volantes foi o necessário para o Bahia crescer e marcar três gols em apenas 11 minutos. Agora, resta ao Sport brigar pelo bicampeonato do Campeonato Pernambucano. As finais do Nordestão serão nos dias 22 e 29 de abril.

O JOGO

Os primeiros minutos passaram sem muitas chances das duas equipes. Com o Bahia apostando na sua ofensividade (tinha apenas Souza como volante, dois meias e três atacantes), esperava-se um time mais agudo, mas o que se viu em campo foi o Sport dominando amplamente o meio-campo. Atuando de forma cautelosa, o time rubro-negro, mesmo não tendo maior posse de bola, foi cirúrgico quando precisou.

Aos 22 minutos, na primeira grande chance do jogo, o Leão fez o gol. Após cobrança de falta de Renê, pela esquerda, Diego Souza subiu mais que todo mundo e cabeceou para o fundo das redes. Na comemoração, ele desabafou: “Eu sou o cara”, repetia o craque rubro-negro. Afinal, pressionado há algum tempo por uma boa atuação convincente, ele chamou a responsabilidade para si e marcou o gol.

A estratégia do técnico Eduardo Baptista, ao apostar no trio de volantes Ronaldo, Rodrigo Mancha e Neto Moura, foi feliz. Além de dar solidez ao Sport, impediu que o Bahia criasse alguma jogada.

Após o gol, os baianos, que haviam entrado em campo muito nervosos, pareciam ter sentido o placar aberto. O Tricolor de Aço foi todo para cima, de forma desorganizada, e deixou muito espaço lá atrás. 

Num desses vacilos, o Sport quase ampliou. Aos 29, Leo Gamalho, que não vinha bem no jogo, perdeu a bola no ataque e deu um bom contra-ataque para o Sport. Diego Souza arrancou pelo meio e abriu na direita para Élber, livre de marcação. O atacante, mesmo cara a cara com o goleiro, não soube aproveitar a excelente oportunidade e chutou em cima de Douglas Pires.

No fim do primeiro tempo, o Bahia pressionou bastante, mas as duas linhas defesa rubro-negras – uma com cinco homens e outra com quatro -, Mancha, Ronaldo e Neto Moura jogando bem. O atacante Kieza, o mais lúcido do Bahia, corria de um lado para o outro, mas não conseguia incomodar.

SEGUNDO TEMPO

Na volta do intervalo, o jovem volante Neto Moura saiu para a entrada do meia Danilo. A intenção do treinador foi dar mais liberdade para Diego Souza no ataque. Não sabia o treinador, mas a alteração fez o time ser outro na etapa complementar. Mais vulnerável com a saída de um dos três volantes, o Bahia cresceu em campo e virou a partida numa rapidez impressionante.

Aos sete minutos, Souza driblou Ronaldo e chutou de fora da área. A bola, mesmo defensável, passou por Magrão. Tudo igual na Fonte Nova. Dois minutos depois, o árbitro marcou pênalti em cima de Kieza, quando Matheus o abraçou dentro da área. Na cobrança, aos 11, Souza virou o jogo para o Bahia.

Só que não deu muito tempo para os donos da casa comemorarem. Aos 13, Renê cobrou a falta para dentro da área e o goleiro Danilo Pires cometeu uma falha bisonha, deixando a bola entrar direto: 2×2.

Quando o Sport poderia ter aproveitado o empate para administrar o jogo, eis que a rede balançou novamente. Aos 18, após cruzamento de Bruno Paulista, Magrão defendeu no primeiro momento, após desvio de Matheus. No rebote, porém, Souza balançou as redes pela terceira vez, deixando o Bahia novamente classificado: 3×2.

Atrás no placar, o técnico Eduardo Baptista abriu mão de mais um volante (Rodrigo Mancha) para a entrada de Régis. Era o tudo ou nada em busca da classificação. Só que o Sport, desarrumado em campo, não teve mais forças para reagir. Bahia classificado. No fim do jogo, os jogadores do Leão foram para cima do árbitro e Diego Souza acabou expulso.

Comentários