Em assembleia, professores da UFPE aprovam indicativo de greve

Os professores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) decidiram, durante assembleia da Associação dos Docentes da UFPE (Adufepe), realizada na manhã desta quinta-feira (14), a aprovação do indicativo de greve com início marcado para o dia 28 de maio. A decisão indica que os professores podem entrar em greve, mas que será necessário realizar uma nova assembleia geral para definir os rumos da mobilização. O pedido de aprovação da paralisação que seria realizada nesta quinta-feira (14) também foi encaminhada, mas não foi aprovada. Ao todo, 71 professores assinaram a ata de presença da assembleia.

Os principais pontos que os professores federais reivindicam é a reestruturação da carreira ao magistério federal, condições de trabalho, garantia de autonomia, além da defesa do caráter público de educação e a garantia da função social das Instituições Federais de Ensino (IFE) em favor da classe trabalhadora. Eles também pedem uma valorização salarial para os ativos e aposentados, e a revogação das medidas provisórias (MPs) 664 e 665, que realizam mudanças na previdência.

O presidente da Adufepe, Gilberto Sousa, afirma que o objetivo da assembleia é promover uma pressão no governo para discutir os pontos reivindicados junto com o Ministério da Educação. “Precisamos que o diálogo seja retomado o quanto antes. Desde que o canal de negociações foi suspenso, em abril de 2014, o governo não retomou o compromisso de voltar à mesa de discussão”, afirma.

Nesta sexta-feira (15), representantes das associações estaduais estarão em Brasília para a reunião das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes), que acontecerá amanhã e sábado (16). Segundo Sousa, a Adufepe levará o resultado da assembleia realizada na quinta (14). A partir do que será decidido e da avaliação das negociações com o governo é que será marcada uma nova assembleia dos docentes — provavelmente no próximo dia 28. Para a greve ser deflagrada, segundo o presidente da Adufepe, é preciso que 10% — ou 270 pessoas — dos associados estejam presentes.

A última greve da UFPE foi em 2012 e durou mais de 100 dias.

Comentários