Dr. Rey mostra fotos do momento em que teria sido agredido na Paraíba

Após se envolver em uma briga em Campina Grande, na Paraíba, onde, segundo ele, um homem apertou seus testículos, Dr.Rey vai entrar com um processo contra o agressor e o restaurante onde tudo aconteceu, o Bar do Cuscuz, na madrugada de sábado, 28, como ele já havia adiantado ao EGO. Nesta segunda, 2, o cirurgião plástico enviou ao site fotos do momento em que teria sido agredido (veja acima). “O surrei merecidamente, por me atacar e me humilhar perante minha nação”, disse Rey, que está em Los Angeles, nos EUA, onde passou por exames por causa dos ferimentos.

“Ele está com os testículos inflamados”, contou o empresário do cirurgião plástico, Antony Kassinove. “Ainda não sabemos o nome do agressor, mas colocamos detetives em Campina Grande para ir atrás dele. Já sabemos que ele é jornalista”, afirmou Kassinove. “Rey está muito abalado com tudo isso, chorou muito. Ele tirou esta semana para se recuperar e descansar”.

Rey só deixará os Estados Unidos no próximo dia 7. No domingo, 8 de março, ele dará uma palestra em Santarém, no Pará, e de lá seguirá para São Paulo.

No restaurante onde aconteceu a confusão, funcionários são instruídos a não comentar o caso.

Entenda o caso
Dr.Rey se envolveu em uma briga na madrugada de sábado, 28, no Bar Cuscuz, em Campina Grande, na Paraíba. Ao EGO, ele disse que foi agredido e que por isso revidou.

“Dei uma palestra médica para 500 pessoas e depois o Arthur Oliveira, juiz da cidade, me convidou para ir ao melhor restaurante de lá. Fui com meu diretor e meu segurança. Havia uma mesa ao lado da minha com cirurgiões, que me convidaram para sentar com eles. Tirei foto com todo mundo e abracei minhas doutoras. Mas a mulher com quem eu apareço na foto (confira abaixo) é uma médica. Estávamos conversando porque ela quer fazer um estágio comigo. Não passei a mão em ninguém”, contou ele.

Segundo Rey, um grupo de 12 homens que estava no segundo andar do restaurante desceu e pediu para tirar fotos com ele. “Eles vieram e me cutucaram no ombro pedindo foto. Abracei o primeiro rapaz e tirei. O segundo veio e, no momento da foto, o primeiro agarrou meus testículos e espremeu, como se eu fosse boi. Apertou tanto que quase desmaiei. E me chamou de doutor gay, falou que eu não entendia o que é ser homem. Ou sou gay ou passo a mão em mulheres. Não posso ser os dois”, disse. “Dei o primeiro soco e o segundo foi na mandíbula. Depois o chutei”, admitiu o médico, que enviou ao EGO fotos mostrando que é faixa preta em tae-kwon-do. “Não passei a mão em mulher nenhuma. Esse grupo nada tinha a ver com as médicas. Fui agredido”.

Rey ainda disse que pretende entrar na Justiça contra o estabelecimento e o homem que o agrediu: “Estou cogitando processar o restaurante por não ter me protegido. Pedi segurança e eles não me deram. Adorei a comida e a dona, que pena. Contra o moço, vou abrir um processo criminal. Já lutei 50 mil tipos de lutas e nunca vi uma assim. Já chutei testículo, mas nunca agarrei. Era eu, meu diretor e meu segurança contra 12 bêbados”.

Rey contou que já foi agredido verbalmente outras vezes. “Nos Estados Unidos me chamam de mexicano. Aqui, os homens me chamam de Dr.Gay. Só quero ter paz. Já nem reajo”.

No sábado, 28, antes de deixar a Paraíba rumo a São Paulo, Rey ainda voltou ao restaurante Bar do Cuscuz, palco de toda confusão. Desta vez, sem barraco e com direito a foto posadinha na entrada do local (veja acima). A intenção, disse ele, era pegar o material que poderia ter sido gravado por câmeras de segurança, mas a dona do estabelecimento não quis entregar.

 

 

Comentários