Dilma diz que Pernambuco é ‘onça nordestina’

A presidente Dilma Rousseff disse nesta terça-feira (28), durante solenidade no Recife, que o Brasil tem “uma onça nordestina”, em analogia ao crescimento econômico dos chamados tigres asiáticos – grupo países que se destacou, desde a década de 80, pelo crescimento alto e repentino de suas economias.

Ela exaltou parcerias e investimentos do governador do estado e aliado político Eduardo Campos (PSB) com o governo federal e atribuiu a ele e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – muito aplaudido – os esforços para o que classificou como forte crescimento da economia local.

“No passado, o Brasil crescia só no Sul e no Sudeste. Essa era a realidade do país. […] O que houve de alteração fundamental desde 2003 foi esse poder de crescimento [no Nordeste]que não excluía as pessoas”, disse. “Nós temos aqui uma onça nordestina; não é bem um tigre asiático, mas é uma onça nordestina.”

Durante seu discurso, o presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda, também elogiou o crescimento de Pernambuco. “Você pode atuar de forma mais eficaz, quando se constroem parcerias. E isso é o que a presidente Dilma tem feito aqui em Pernambuco, junto com o governador Eduardo Campos. […] Eu sou da vizinha Paraíba e lá eu vou ver se eu pego uma rebarbazinha do desenvolvimento aqui de Pernambuco”, brincou.

Investimentos
Aplaudida, a presidente participou de solenidade de entrega de chaves do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Habitação.

Em viagem ao Recife, inaugurou o Conjunto Habitacional da Via Mangue. Os investimentos do governo federal na obras são da ordem de R$ 48 milhões.

Dilma também anunciou investimento de R$ 2 bilhões do Programa e Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana do Recife. Entre as ações previstas, estão a construção de estradas perimetrais, corredores viários e o projeto de navegabilidade do Rio Capibaribe.

“O que nós vamos fazer aqui é melhorar a mobilidade para quem mora e quem trabalha na Região Metropolitana. Essa é uma questão fundamental para uma cidade. E nós vamos transformar o Rio Capibaribe numa estrada, num caminho, numa via fluvial”, disse. “O Recife é uma cidade que foi construída em torno de dois rios. Tem que valorizar esses rios. Essa decisão é do governo Eduardo Campos e nós vamos apoiar sem restrição. Muitos brasileiros e estrangeiros virão aqui só para andar de barco no Capibaribe. E vocês irão usar o rio como transporte.”

As obras do PAC da Mobilidade Urbana que fazem parte de um projeto construído em parceria com o governador Eduardo Campos. “O governo federal vai destinar esses recursos para a gente concluir a Segunda Perimetral, a Terceira, para fazer a Radial Sul, para o governo do estado fazer a navegabilidade do Rio Capibaribe, para fazermos a Quarta Perimetral, e os corredores Leste-Oeste e Norte-Sul”, detalhou o prefeito João da Costa.

Protesto
Durante a solenidade, um grupo de dezenas de pessoas protestava, com faixas e cartazes, contra a situação de moradores de alguns blocos do Conjunto Muribeca, localizado em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. Os prédios, do modelo caixão, estão sob risco de desabamento, o que obrigou as famílias a desocuparem os imóveis.

Os prédios sofrem com problemas como rachaduras desde 1986. De acordo com os laudos feitos por peritos, todos apresentam risco alto ou muito alto de desabar. Atualmente, 15 blocos de apartamentos estão interditados e os proprietários recebem um auxílio-moradia de R$ 535. Outros 54 prédios continuam ocupados. A Defesa Civil de Jaboatão dos Guararapes já se organiza para desocupar mais 13 prédios que precisam ter as estruturas reforçadas.

Cobrada por gritos dos manifestantes, a presidente Dilma se pronunciou. “A Caixa tem a minha determinação de tratar essa questão [habitação] como prioritária, num segundo momento eles discutem a responsabilidade, o que vão fazer, o seguro, o que quiserem”, disse.

Comentários

Leave A Reply