Dilma condiciona ajuda ao Nordeste à aprovação do ajuste fiscal pelo Congresso Nacional

A presidente Dilma Rousseff (PT) deixou de lado a crise econômica e política que tem atingido a sua gestão para receber os governadores do Nordeste nesta quarta-feira em Brasília. Os gestores arrancaram da petista o compromisso de dar continuidade às obras de infraestrutura realizadas na região, mas só terão seus pleitos atendidos se as medidas de ajuste fiscal do governo federal forem aprovadas pelo Congresso Nacional.

“Houve uma sinalização positiva do governo federal que as obras em andamento não sofreriam contigenciamento. Por outro lado, que qualquer novo anúncio ou nova obra vai depender da aprovação do ajuste fiscal. Com essa previsibilidade a gente sabe com o que vai poder contar em 2015. Dissemos à presidente que estamos fazendo nosso dever de casa em relação aos ajustes necessários”, destacou o governador Paulo Câmara (PSB).

Antes da audiência com Dilma, os governadores se reuniram para debater que pontos levariam à presidente. Entraram na pauta as medidas emergenciais contra seca, a continuidade das obras hídricas e do programa Minha Casa, Minha Vida, novas operações de créditos para os Estados, o financiamento d a saúde e ações na área de segurança pública.

LEIA MAIS NA EDIÇÃO IMPRESSA DO JORNAL DO COMMERCIO DESTA QUINTA-FEIRA

Comentários