Corpo de jovem camutanguense desaparecida é encontrado às margens de rio em Itabaiana

O corpo de uma jovem de 25 anos foi encontrado na manhã desta segunda-feira (23) enterrado às margens do Rio Paraíba, no município de Itabaiana, a 72 quilômetros de João Pessoa, na Paraíba.

De acordo com informações da Polícia Civil, ela estava desaparecida desde o final do ano passado. O companheiro da vítima foi preso, suspeito do crime e indicou o local onde o corpo estava. Peritos da Gerência Executiva de Medicina e Odontologia Legal (Gemol) foram acionados e seguiram para o local para realizar a remoção e a identificação do corpo.

Ao ser interrogado na delegacia de Itabaiana, o suspeito de 35 anos, confessou o crime e levou os policiais até o local onde enterrou o corpo da vítima. O fato aconteceu no dia 3 de dezembro de 2014, data em que foi registrado um boletim de ocorrência sobre o desaparecimento da jovem.

a2

Segundo o delegado Hugo Hélder Porto Barreto, da 9ª Seccional de Polícia Civil, que coordenou a equipe de investigação, o casal tinha três filhos e viveram maritalmente durante 11 anos. Após o desaparecimento da mulher, o suspeito viajou para o Rio de Janeiro, o que chamou a atenção da equipe de investigadores. “Nossa equipe de investigação começou a trabalhar nesse caso a partir do registro de um boletim de ocorrência feito por familiares da vítima, no dia 3 de dezembro do ano passado.

Após descobrir que o suspeito teria ido morar no Rio de Janeiro e deixado os filhos com a família da vítima, intensificamos a investigação no sentido de localizar o endereço dele no Rio. Foi assim que o intimamos a vir aqui em Itabaiana prestar esclarecimentos e ele acabou confessando o crime”, disse Hugo Barreto.

De acordo com a equipe de investigação da Delegacia de Itabaiana, o suspeito confessou que matou a mulher afogada e resolveu enterrar o corpo às margens do Rio Paraíba. “Ele disse que o casal costumava ir tomar banho no rio e sempre brigavam muito. Da última vez que discutiu com a mulher, acabou perdendo a cabeça e decidiu afogá-la. Como não tinha outra alternativa, enterrou o corpo ali mesmo, às margens do Rio Paraíba, e foi morar no Rio de Janeiro”, concluiu o delegado.

a1

Comentários