Copa deve gerar 3,6 milhões de empregos em Pernambuco

Mais de 3,6 milhões de empregos devem ser criados pela Copa do Mundo de 2014. De olho em uma dessa vagas, muitos pernambucanos voltaram a estudar. Esse caminho que abre perspectivas de conseguir entrar no mercado de trabalho é o tema da segunda reportagem da série sobre o Mundial no Brasil.

E os empregos estão espalhados por todos os lugares. Até no simples fato de pegar um táxi. Mas, e se o motorista não entender o seu idioma? “Aí ficou ruim, risos, aí ficou ruim. Não é verdade?”, explica o comerciante Eduardo Gomes.

É quando entra em campo o velho jeitinho. “Isso acontece com frequência. E aí parte para mímica mesmo”, revela o taxista Paulo Sérgio.

Muitos encontraram uma forma para economizar os gestos – apostila na mão. Três vezes por semana, em vez do banco do carro, eles se sentam na cadeira da sala de aula. Inglês básico para 120 taxistas da cooperativa do Aeroporto do Recife. “O taxista, agora, é a porta de entrada, é a recepção. É muito importante, é a primeira mão, a primeira pessoa”, alerta o taxista Alexandre Farias.

E o que antes parecia um monte de letras sem sentido no idioma inglês, agora ganha significado. “Do you wanna a taxi? O senhor deseja um táxi?”, é como o taxista Carlos Coimbra comprova o que está aprendendo.

“A preocupação foi justamente procurar capacitar os motoristas para que possam receber o turista de fora”, afirma Jairo Melo, diretor de cooperativa de táxi.

E tem mais gente em sala de aula. Até 2013, ano da Copa das Confederações, três mil funcionários dos hotéis de Pernambuco vão passar por cursos de inglês. Bem Receber Copa é o nome do projeto do Ministério do Turismo. A meta é qualificar 50 mil funcionários da rede hoteleira nas 12 cidades que vão receber o Mundial.

“O turismo necessita disso, de boas informações, de bom atendimento. É isso que esse curso está dando para a gente”, diz o gerente Édson Silva.

“Ter a hotelaria de Pernambuco muito bem qualificada e preparada não só para a Copa do Mundo, mas para os muitos turistas que nós já temos no estado, hoje”, é o que pensa a coordenadora do projeto Bem Receber Copa, Ana Morais.

E com a proximidade da Copa, o turismo vai crescer. O número de hotéis já está aumentando. Vinte serão construídos no Estado até o Mundial. Com eles, serão mais de cinco mil novos apartamentos. “Expectativa é que, nesses próximos cinco anos, praticamente dobre a demanda
para o Recife em função de Suape e a Copa do Mundo que é evento internacional que todo país quer sediar”, destaca Ricardo Avelino, gerente geral de hotel.

E todo mundo quer participar. “De todas as maneiras. Tanto na hotelaria como lá no estádio marcando minha presença. Risos. Como torcedor”, comemora o mensageiro Leonardo Nascimento.

Comentários

Leave A Reply