Centrais sindicais afirmam que não há nada para ser festejado no 1º de maio

O Dia do Trabalhador deste ano não será de comemorações para as centrais sindicais pernambucanas. Representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Força Sindical, as duas maiores centrais sindicais do País, afirmam que apesar da data, não há nada para ser festejado.

Ao invés das tradicionais festividades, a Força Sindical realizou ontem uma plenária sobre diversos temas de interesse da classe, que contou com a participação do Dieese, da Previdência Social e de representantes e alguns sindicatos estaduais. Durante o debate intitulado 1º de Maio Dia do Trabalhador: Nada a Comemorar, representantes de alguns sindicatos pernambucanos ratificaram, de forma conjunta, a necessidade de transformar a data em um mote para a luta e reivindicação dos direitos trabalhistas.

Para a CUT, a tônica principal das manifestações alusivas ao Dia do Trabalhador também será o combate ao projeto de lei da terceirização (PL 43330/04). Hoje, a Central realiza o ato Classe Trabalhadora nas Ruas para Garantir Direitos, com concentração às 9h, na praça Oswaldo Cruz, na Boa Vista, com passeata pelo centro do Recife. Outro foco da mobilização, que envolverá representantes de movimentos sociais e sindicatos, será o apoio a greve dos trabalhadores em educação do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe).

Comentários