Caminhoneiro confessa que matou ex-mulher e jogou corpo em estrada

A polícia divulgou, nesta segunda-feira (3), os detalhes sobre a prisão do caminhoneiro José Cláudio Marques de Siqueira, de 37 anos. Ele foi preso na última quarta e confessou que, por ciúme, matou e jogou o corpo da ex-mulher Patrícia Pereira da Silva, de 31. O homem foi encontrado no Maranhão, quase três meses após cometer o crime.

De acordo com a delegada Débora Tenório, em depoimento, o caminhoneiro afirmou que matou a ex-esposa no dia 18 de maio, última vez que a vítima foi vista no município de Garanhuns, Agreste do Estado, cidade onde morava. “Ele afirma que foi para um motel com Patrícia e durante uma discussão, motivada por ciúmes, ele teria desferido um murro na vítima, que caiu sobre uma bancada de mármore, bateu a cabeça e caiu no chão já desfalecida. Ele diz que colocou o corpo no porta-malas do carro, deixou o motel. E depois colocou o corpo na cabine da carretada dele e deixou às margens da BR-410, na Bahia”, detalha.

O casal viveu junto por 14 anos. Segundo familiares da dona de casa, o relacionamento foi muito conturbado, marcado por brigas e ameaças. Em janeiro deste ano, o caminhoneiro chegou a ser detido por ameaça contra a ex-esposa, mas foi liberado mediante o pagamento de fiança. Por medo do ex-companheiro, Patrícia solicitou na Justiça uma medida protetiva, que determinava que José Cláudio mantivesse uma distância mínima de 200 metros da dona de casa. Dias antes de desaparecer, ela retirou o pedido de proteção.

O caminhoneiro vai ser indiciado pelos crimes de homicídio qualificado por motivo fútil e ocultação de cadáver. Ele está preso na cadeia pública de Garanhuns. A polícia iniciou as buscas pelo corpo da vítima.

As informações são da TV Jornal

Comentários