Bancada de oposição fará avaliação dos 100 dias de governo de Paulo Câmara

A bancada de oposição da Assembleia Legislativa reúne-se nesta terça-feira (7) para fazer um balanço dos 100 dias do governo Paulo Câmara (PSB) e de atuação dos próprios parlamentares. Apesar da legislatura ter iniciado apenas em fevereiro, os deputados já articulavam-se para atuar de maneira opositora ao governo desde o início do ano.

De acordo com o líder da oposição, Silvio Costa Filho (PTB), além da avaliação, cujo resultado será apresentado até o final da semana em entrevista coletiva, o bloco parlamentar iniciará uma nova fase em abril, fiscalizando o serviço de saúde materno-infantil do Estado. “Já fizemos uma reunião com o Cremepe (Conselho Regional de Medicina) e pretendemos fazer um diagnóstico da saúde pública do Estado”, informou.

Ainda de acordo com o deputado, a ideia é fazer uma audiência pública sobre a saúde, mas ainda não há ata prevista. Outra agenda prevista é a visita a sindicatos de setores como saúde, educação e mobilidade urbana. “”A bancada quer ter uma posição mais itinerante para poder fazer uma avaliação do Estado e do momento que estamos passando”, completou Silvio Costa Filho.

No dia  16, a bancada de oposição fará uma audiência pública para discutir os resultados do Pacto Pela Vida. No primeiro trimestre deste ano, foram registrados 982 assassinatos no Estado, um aumento de 18,5% em relação ao mesmo período de 2014. “A segurança é uma das pautas mais preocupantes”, afirmou Silvio Costa Filho. Além do aumento da violência, há, ainda, a iminência de uma nova greve da Polícia Militar. A categoria não está satisfeita com o tratamento recebido pelo governo. Parte do acordo feito antes do Carnaval, que evitou uma paralisação, não estaria sendo cumprida.

A bancada aguarda, ainda, uma resposta da Comissão de Desenvolvimento Econômico sobre o pedido de audiência pública com o vice-governador Raul Henry (PMDB), para tratar da questão das Parcerias Público-Privada (PPPs). Os oposicionistas querem esclarecimentos sobre os contratos da Arena Pernambuco e do Presídio de Itaquitinga.

Comentários