Ataque desencanta e Sport atropela o Central

Em uma partida que ficou comprometida tecnicamente pela péssima qualidade do gramado, o contestado ataque do Sport desencantou. Contra um apático Central, que na véspera viu seus atletas fazerem greve por conta de salários atrasados, os rubro-negros venceram por 5×0, nesta quarta-feira (29), no estádio Luiz Lacerda, em Caruaru, no confronto de ida da disputa pelo terceiro lugar do Pernambucano. A volta é no sábado, às 16h, na Ilha do Retiro. Os rubro-negros podem até perder por 4×0 que ficam com a vaga na Copa do Nordeste de 2016.

Apesar de mal conservado, não se pode creditar exclusivamente ao gramado a culpa pelo “show de horrores” que foram os primeiros 30 minutos no Lacerdão. O Sport entrou em campo em câmera lenta, abusando dos passes errados no meio-campo e sem criatividade na frente. O Central, por sua vez, era um time entregue, sem alma e garra. Assim, a partida se arrastava sem lances dignos de registro.

Aí, a partida ganhou um pouco de graça com três gols do Sport em sequência. O primeiro, aos 30 minutos, nasceu de um erro centralino em sua intermediária. Joelinton roubou a bola e tocou para o meia-atacante Élber, impedido, bater na saída do goleiro Beto: 1×0. Mais sete minutos, e os leoninos chegaram ao segundo, com Diego Souza. O camisa 87 contou com uma furada do zagueiro Sinval para dominar livre na área e chutar para o fundo da rede.

No lance seguinte, o Sport chegou ao terceiro, mais uma vez com Diego Souza. Só que agora um golaço. O meia dominou na intermediária e disparou uma bomba. A bola foi no ângulo esquerdo do goleiro Beto, indefensável. Assim, os leoninos desceram para o intervalo com a cômoda vantagem de 3×0.

O roteiro se manteve no segundo tempo. O Sport dominava a partida e voltou a marcar aos 13 minutos, quando o centroavante Felipe Azevedo recebeu de Élber, se livrou com facilidade de três marcadores dentro da área e chutou com força: 4×0. O quinto veio com outro atacante que andava em baixa com a torcida. Diego Souza deu belo passe para Joelinton bater de primeira, aos 24.

O placar para o Sport poderia ter sido ainda mais elástico se o volante Wendel tivesse convertido uma das duas boas oportunidades que teve no segundo tempo. Na primeira, aos 9 minutos, cara a cara com o goleiro Beto, escorou para fora o cruzamento da direita. A outra, aos 29, cobrou falta e parou em uma bela defesa do camisa 1 centralino. Parou por aí: 5×0 para o Leão.

Comentários