”Às vezes a gente convive com um monstro sem saber”, diz mãe de Maria Alice

Maria José de Arruda, mãe de Maria Alice Seabra, 19 anos, foi nesta terça-feira (7) à sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) conversar com a delegada Gleide Ângelo. Maria Alice foi estuprada e morta por Gildo Xavier, ex-marido de Maria José, no mês de junho.

“Eu quero que ele pegue pena máxima, que é o que ele merece”, desabafou Maria José em entrevista à TV Jornal. “Às vezes a gente convive com um monstro sem saber. A gente não sabe o coração dos outros”, disse se referindo ao ex-marido.

A mãe da jovem também revelou que Alice receberia uma herança do pai. “Ela tinha me dito que usaria para pagar a faculdade dela e outra parte para montar um negócio comigo”, explicou Maria José.

Segundo a mãe, elas duas abririam um lava-jato, onde Maria José ficaria trabalhando. A mãe lamentou ter dado uma segunda chance a Gildo antes do crime acontecer. “Eu não tinha como adivinhar, eu não sabia.” No início do ano, Alice descobriu uma traição de Gildo e contou à mãe. Ele passou uma semana fora de casa, mas foi perdoado pela esposa. “Temos que ouvir o que as filhas falam e às vezes a gente não vê”, completou.

Maria Alice Seabra foi morta no dia 19 de junho e o seu corpo foi encontrado cinco dias depois em um canavial na cidade de Itapissuma, na Região Metropolitana do Recife. A jovem estava sem uma das mãos, onde havia tatuado o nome do pai.

A mãe da jovem, Maria José, vivia com Gildo Xavier há 15 anos e tem uma filha de 11 anos com ele. O homem confessou que sentia atração física por Alice desde que ela completou 16 anos. Ele premeditou o estupro. Gildo planejou drogá-la, violentá-la e a abandonar em algum lugar.

O inquérito da morte de Maria Alice foi concluído na segunda-feira.

Assista ao vídeo com entrevista à TV Jornal:

Comentários