Aos sete meses, grávida de quíntuplos dá à luz no Recife

Nasceram no início da tarde desta terça-feira (14) os quíntuplos filhos da dona de casa Hildeane Lopes e do metalúrgico Valmir Carneiro. Vitória, Alice, Heloísa, Helena e Valdemir nasceram com pesos que variam de 1.060 kg a 1.390 kg e passam bem. Os bebês vão ficar na UTI para ganhar peso. Eles nasceram com 29 semanas, quando uma gestação normal dura 40. A mãe também passa bem, mas deve ficar no Hospital Memorial São José, no Recife, em recuperação por três ou quatro dias.

A cirurgia cesariana começou por volta das 12h45 e terminou às 14h, acompanhada por 28 profissionais. “Eles foram preparados para nascer o mais saudável possível. Uma equipe de sete neonatologistas participou do parto e agora vamos acompanhar a evolução na UTI, tem toda uma dinâmica de prematuro e temos que acompanhar esse processo. Mas eles são considerados saudáveis”, afirma o neonatologista José Henrique Moura. A alta está prevista para dois meses.

A chegada dos bebês deve mudar a vida dos pernambucanos, que moram no Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife. “A emoção é imensa. Até agora o coração está explodindo de alegria. Amo demais os meus filhos, amo demais crianças”, afirma o pai, que assistiu ao parto.

A família ainda não conseguiu completar o enxoval, que tem que ser multiplicado por cinco. “Estamos precisando de ajuda, dos colchões de berço, carrinhos, bebê-conforto. Qualquer ajuda é bem-vinda. Mas Deus vai abençoar, eu creio. Ela é guerreira e eu também, vamos dar conta dos cinco”, garante Valmir. Ele já sabe como vai fazer para diferenciar as meninas. “Vamos colocar pulseiras com os nomes das quatro para identificar. E bola para frente”, se diverte.

Os bebês também precisam da solidariedade de outras mamães, porque estão precisando de doação de leite materno. As doações devem ser feitas ao banco de leite do Imip, nominalmente a Hildeane Lopes. O Imip fica na Rua dos Coelhos, nº 300, área central da capital.

Gravidez múltipla
A gravidez múltipla foi fruto de uma fertilização in vitro, feita pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O casal, que está junto há 11 anos, fazia tratamento há cinco para que Hildeane conseguisse engravidar. Mas o sonho de se tornarem pais veio junto com um susto, quando o exame de ultrassom revelou que, ao invés de dois bebês, como era o esperado, havia cinco. “Eu fiquei ‘anestesiada’ uma semana”, disse ela à época.

Comentários